Ringo Starr esclarece que vocais de John Lennon não serão criados por IA.

Ringo Starr esclarece que vocais de John Lennon são de uma gravação original e não serão criados por Inteligência artificial em nova produção dos Beatles. 

Quando Paul McCartney revelou que os Beatles lançariam uma última música ainda este ano, utilizando vocais extraídos de uma demo de John Lennon por meio de um programa de computador, a imprensa, que frequentemente fala sem conhecimento, prontamente adotou a narrativa de uma “música dos Beatles gerada por IA”.

Fãs confusos temiam que estivessem prestes a ouvir uma imitação de Lennon feita por inteligência artificial. No entanto, os Beatles deixaram claro que jamais falsificariam os vocais de Lennon, e Ringo Starr reforçou isso em uma nova entrevista para um próximo episódio do podcast Rolling Stone Music Now: “Jamais faríamos algo como disfarçar ou recriar a voz de John.”

Além disso, Ringo confirmou que George Harrison gravou partes da música antes de sua morte em 2001, e descreveu isso como algo belo. Ele declarou: “Essa será a última faixa em que os quatro rapazes tocam juntos. E isso é um fato.” Conforme contou.

Embora nada esteja confirmado oficialmente, a participação de Harrison quase certamente indica que se trata de “Now and Then”, uma demo de Lennon na qual Paul, George e Ringo trabalharam durante as mesmas sessões que resultaram nas músicas “Free As A Bird” e “Real Love”. Essas faixas fizeram parte dos álbuns e documentários do Beatles Anthology nos anos 90.

No entanto, “Now and Then” ficou de fora do Anthology porque não havia um consenso entre Paul, George e Ringo. “Now and Then” é uma gravação caseira de John Lennon de 1978, entregue por Yoko aos três Beatles nos anos 90. 

A inteligência Artificial será uma ferramenta usada e atualizada para mixagem e montagem das vozes e instrumentos. Como aconteceu no Anthology e nas apresentações ao vivo de McCartney quando interage com John em “I´ve Got a Feeling” 

Ringo, 83 anos.

Enquanto isso, Ringo se prepara para comemorar seu 83º aniversário em 7 de julho, e ele continuará sua tradição de pedir aos fãs que, ao meio-dia em seus respectivos fusos horários, expressem “paz e amor” através de palavras, postagens ou pensamentos.

No dia do seu aniversário, Ringo estará presente em uma celebração em Beverly Hills, acompanhado por músicos como Joe Walsh e Mike Campbell. Ele recorda: “Em 2008, durante uma entrevista, o entrevistador me perguntou: ‘Ringo, o que você gostaria que seus fãs lhe dessem de presente de aniversário?’ E não sei de onde veio, mas eu pensei que seria maravilhoso se, ao meio-dia, todos pudessem expressar ‘paz e amor’, e foi assim que tudo começou. Começamos com 80 pessoas… e agora são 28 países.”

Ringo, que recentemente concluiu uma turnê de primavera com a All-Starr Band, afirma que está se sentindo muito bem. Ele diz: “Você nunca sabe quando vai cair, essa é a verdade. E, por enquanto, eu ainda estou de pé.”

A entrevista completa de Ringo, na qual ele compartilha novos pensamentos sobre o documentário “Get Back” de Peter Jackson e muito mais, será apresentada no episódio do próximo fim de semana do Rolling Stone Music Now.

O vídeo da entrevista também vai fazer parte do episódio no Rock and Roll Hall of Fame em Cleveland em 7 de julho. O episódio também contará com uma nova entrevista com o produtor Glyn Johns, que trabalhou nas sessões de gravação de “Let It Be”.

Por fim, o museu também celebrará o aniversário