The Beatles: o dia que Ringo saiu da banda no meio das gravações do ‘Álbum Branco'”

Durante as gravações do “Álbum Branco”, os Beatles viram Ringo Starr deixar temporariamente a banda. Confira

Por Sandro Abecassis

O mês de agosto sempre teve uma representatividade muito forte na carreira dos Beatles. Fatos importantes aconteceram no oitavo mês do ano. Tanto é que a Beatle Fest Week, realizada anualmente em Liverpool, acontece justamente em agosto.

Portanto, hoje vamos falar de um dia durante as gravações do “Álbum Branco”, em 22 de agosto de 1968. Em uma ocasião, Ringo derrapou em uma passagem durante “Back In The USSR”, e levou um sermão de Paul, seguido de uma demonstração de como deveria ser feito.

Ringo teve um acesso de raiva e foi embora.

“Sua resposta foi largar as baquetas e ir embora com um acesso de raiva sem precedentes, dizendo que o jeito como tocava não servia mais e que se sentia excluído (quando mencionou a mesma coisa depois para John e Paul, os dois responderam que eles é que se achavam excluídos). Mas a verdade, segundo George Martin, era que Ringo não estava mais aguentando toda aquela discórdia”, conforme consta na página 322 do livro “Paul McCartney: A Biografia” de Philip Norman.

Situando historicamente, nessa época Paul já começava a liderar mais efetivamente a banda desde a morte de Brian em 1967. E em fevereiro de 1968, portanto antes das gravações do “White Álbum” (Junho a outubro), a banda fez a famosa viagem a Índia, onde os acontecimentos por lá inspiraram canções como, “Sexy Sadie”, “Dear Prudence”, “The Continuing Story of Bungalow Bill”, entre outras. 

 

Mas parece que a meditação não resolveu muito não. As gravações do “Álbum Branco” foram recheadas de conflitos.

John já tinha engatado um relacionamento sério com Yoko, e vislumbrava os projetos dos dois, além de estar viciado em sexo e heroína e LSD.

George viu que o seu potencial como compositor era imenso, mas que ao mesmo tempo não tinha a devida atenção (tanto é que lá na frente é ele quem vai sair).

E Ringo sentia que, se aquilo tudo ruísse, ele ficaria bem perdido e precisava mostrar sua importância. Afinal, ele jamais esqueceu que foi substituído por Andy White, por George Martin, lá em “Love Me Do”.

Ringo de “Férias”

O que aconteceu é que, após a saída, Ringo tirou uns dias para ficar no iate do ator Peter Sellers na Sardenha, Itália. A história conta que durante este hiato, Starr compôs “Octopus Garden”, que entraria no álbum “Abbey Road”.

Com Ringo de “férias”, os trabalhos continuaram em Londres. Paul terminou as baterias de “Back In The USSR” e “Dear Prudence”.

Mas o episódio demonstrou que Ringo era um elo importante para a banda. Foi então que John, Paul e George mandaram um telegrama para o baterista dizendo: “Você é o melhor baterista de rock and roll do mundo, nós amamos você”.

Duas semanas depois, Ringo Starr estava de volta ao seu posto e encontrou sua bateria Ludwig coberta de flores e cartazes de boas-vindas. O fato também é descrito no documentário Anthology dos anos 90.