The Strokes, ‘Is This It’, o rock de garagem que marcou o início do novo século”

Em 2001, Os Strokes traziam de volta o velho e bom rock de garagem com o lançamento do seu primeiro álbum, “Is This It”.

Formado por Julian Casablancas (vocais), Albert Hammond Jr. (Guitarra), Nikolai Fraiture (baixo), Niki Valensi (guitarra) e o brasileiro Fabrizio Moretti na bateira, por volta de 1997. A banda por dois anos correu em busca de gravadoras e tocava nos clubes underground de Nova Iorque. Até que conheceram Ryan Gentles, empresário, dono de uma casa de show que começou a agenciar a banda até conseguir a gravação do EP com três músicas, chamado, “The Mordern Age”. Sendo assim, o pontapé para assinarem um contrato com a RCA. 

No começo de 2001 Os Strokes começam as gravações do primeiro álbum, “Is This It”. A intenção era que soasse como uma banda antiga, tocando no futuro. Tanto é que o videoclipe de divulgação da faixa “Last Nite”, é produzida com a banda tocando ao vivo em um lugar semelhante aos programas de auditório dos anos 60, como por exemplo, “The Ed Sullivan Show”. 

 

As faixas

Os Strokes usaram efeitos de voz em diversas faixas do álbum, como por exemplo na que abre e dá título ao álbum, “Is This It”, música que fala sobre alguém tentando reatar um relacionamento. Na sequência, “The Modern Age”, que deu título ao EP, tem um destaque para as marcações da bateria de de Fabrizio.

Um detalhe, o título da próxima faixa foi tirada de um livro Aldous Huxley, chamado “Admirável mundo novo”, “Soma” era um substância que algumas pessoas da sociedade descrita no livro tomam para esquecer tristezas e coisas negativas. 

Em “Barely Legal”, muitos fãs sugerem que Julian está dando um alfinetada no pai, John Casablancas, que era dono da agência Elite Models, e que possivelmente teve um caso com uma modelo de 16 anos e a letra da música fala justamente de uma garota ingênua que chega aos 18 anos e namora um cara muito mais velho. 

A contagiante “Someday” é uma faixa do que realmente o álbum se prôpos a ser, jovem, cru, e que ao mesmo tempo relembrasse antigas bandas do passado. A canção traz na letra o retrato das aventuras da juventudes. “Someday”, entrou como tema de uma peça publicitária da VIVO no Brasil.

Já em “Alone, Together”, tem um dos melhores solos de Niki Valensi para o álbum, uma canção densa, sobre álcool e solidão. 

Last Nite

O hit do disco, “Last Nite”, é considerada um dos hits da primeira década do ano 2000 e abriu o caminho pra o sucesso dos Strokes. Vocais rasgados, o duo de guitarras no volume máximo e o videoclipe aparentemente descompromissado com a cara dos anos 60. Portanto, emplacando como cartão de visita da banda. 

Bandas Indie do começo dos anos 2000, o que andam fazendo?

Aliás, falando em material de vídeo dos Strokes, a maioria das faixas busca esta influência nos anos 60 e 70. Em “Hard To Explain’ não é diferente, a música tem o que parece ser uma bateria eletrônica, mas não é, Fabrizio usa uma acústica mesmo. 

Contudo, uma curiosidade, a banda retirou a faixa, “New York City Cops”, da versão americana logo depois dos ataques de 11 de setembro. Em um dos trechos a letra diz algo como, “Os policiais de Nova Iorque não são tão espertos assim”.

Outra questão é a capa, nos Estados Unidos a versão saiu com foto de partículas subatômicas e fractais. O Prince usou em um álbum de 1990 a mesma foto. Para o mercado mundial, a capa é a foto da namorada do fotógrafo Colin Lane. Ela aparece em um nu lateral com uma luva de couro apoiada no dorso. 

Essa versão teve inspiração no álbum dos Stones, Sticky Fingers, da Blondie, bem como do trabalho que Andy Warhol fazia com o Velvet Underground. 

Por fim, o lançamento de “Is This It”, aconteceu em 30 de julho de 2001, marcando uma década história para indie music

 

Fonte: som na caixa.