Documentário “Eu Sou: Celine Dion” mostra a luta da cantora contra a Síndrome da Pessoa Rígida

“Eu sou: Celine Dion” estreou no dia 25 de junho

Um documentário impactante já está disponível na Prime Vídeo, trata-se de, Eu sou: Céline Dion”. A produção sobre a dona de hits como por exemplo, “My Heart Will Go On”, “All By Myself”, ‘Impearfections”, “Because You Love me”, dentre tantos outros, traz Celine falando abertamente a respeito da sua condição de saúde.

Celine Dion foi diagnosticada em dezembro de 2022 com a Síndrome da Pessoa Rígida, a condição tem sintomas como rigidez muscular involuntária, assim como, espasmos, perda de equilíbrio e convulsões. 

A doença tem tratamento para aliviar os sintomas, mas não existe cura. No momento em que recebeu a informação sobre a doença, a cantora cancelou todos os compromissos de shows.

Documentário de coração aberto.

Documentário "Eu Sou: Celine Dion" mostra a luta da cantora contra a Síndrome da Pessoa Rígida

No documentário,  Céline Dion, 56 anos, fala sobre a carreira e também aborda de forma clara como está seu tratamento e o dia-a-dia com a síndrome. Nos últimos anos o quadro se agravou, trazendo dores e inclusive impedindo a cantora de usar sua voz. 

“Meu instrumento, [a voz], não estava funcionando. Então começamos a elevar o medicamento.“Eu tomava 80 a 90 miligramas de Valium (diazepam) por dia. Isso é apenas um medicamento. Não quero parecer dramática, mas poderia ter morrido”. Conforme conta em um trecho do documentário.

O filme mostra a cantora fazendo fisioterapia e ensaiando para voltar a cantar e fazer shows. Inclusive, Celine toca em um ponto importante, lembrando que os espasmos vocais começaram de forma leve a cerca de 17 anos, quando ela tentava fazer algumas notas e a voz não obedecia. 

Algumas partes mostram Céline chorando na frente das câmeras tentando cantar. Além das condições físicas, a síndrome também afeta de modo violento o psicológico. 

Céline Dion em gravação. — Foto: Reprodução/YouTube

No filme são mostradas cenas de impacto, como por exemplo, durante uma sessão de fisioterapia ela começa a ter espasmos no pé, mas rapidamente é socorrida. No entanto tem uma convulsão e muitas dores. Celine usa um spray nasal usado para relaxar os músculos.

O documentário também mostra a rotina da cantora com os filhos gêmeos, Nelson e Eddy, de 13 anos. Assim como, o cachorro Bear, que inclusive morreu durante as gravações. 

Existe também uma homenagem ao marido René Angelil, que faleceu em 2016 devido a um câncer na garganta. Apesar de tudo, o documentário mostra uma Celine sem a opção de desistir, com a cantora treinando a voz e em raras aparições públicas. 

“Ainda me vejo dançando e cantando. E sempre encontro o plano B e C. Sou eu. Se não posso correr, vou andar. Se não posso andar, vou rastejar. Mas não vou parar. Não vou parar”.

Sobre a doença

A Síndrome da Pessoa Rígida é um distúrbio neurológico raro que causa espasmos musculares dolorosos e rigidez progressiva. A causa exata é desconhecida, mas acredita-se estar relacionada a uma reação autoimune.

Sem cura, o tratamento se concentra no controle dos sintomas, com medicamentos, fisioterapia e terapia ocupacional. Em casos graves, a cirurgia pode ser necessária.

O acompanhamento médico especializado é crucial para monitorar a doença, ajustar o tratamento e oferecer suporte ao paciente e seus familiares.

Por fim, confira o trailer de  Eu sou: Céline Dion”, disponível no Prime Vídeo.