Riley Keough, neta de Elvis, impede leilão da mansão Graceland.

Leilão iria quitar dívidas ainda da mãe de Riley, Lisa Marie.

Em uma reviravolta surpreendente, a neta de Elvis Presley, Riley Keough, conseguiu impedir o leilão de Graceland, a lendária mansão do Rei do Rock. A empresa de investimentos Naussany Investments and Private Lending LLC alegava ter um empréstimo pendente de Lisa Marie Presley, mãe de Riley, e pretendia leiloar a propriedade para recuperar o dinheiro.

No entanto, Keough contestou as alegações da Naussany, afirmando que o empréstimo e a assinatura de sua mãe eram falsificações. Ela também levantou dúvidas sobre a legitimidade da própria Naussany, chamando-a de “entidade falsa criada com o propósito de fraudar”.

Um juiz do Tennessee concordou com Keough e concedeu uma liminar temporária para bloquear o leilão. Logo em seguida, a Naussany recuou, retirando sua reivindicação com prejuízo. Isso significa que a empresa não poderá tentar leiloar Graceland novamente no futuro.

Embora o motivo por trás das ações da Naussany ainda esteja obscuro, a rápida resposta legal de Keough protegeu Graceland de cair em mãos erradas. A mansão, que é um marco cultural e local de descanso final para Elvis e outros membros da família Presley, permanecerá sob o controle da família por enquanto.

Entenda o caso

O espólio de Elvis é avaliado em cerca de U$ 1 bilhão de dólares. Quando Presley morreu, seus principais herdeiros eram seu Pai Vernon e Lisa Marie pra quem deixou um fundo em torno de U$ 5 milhões de dólares. No entanto, a menina na época tinha 9 anos, então Priscilla assumiu a parte que pertencia a ela. A ex-mulher criou a Elvis Enterprise, e transformou Graceland em um centro de peregrinação turística para os fãs do roqueiro, rendendo cerca de U$ 15 milhões de dólares por ano, fora os produtos licenciados. 

Contudo, em 1993 Lisa Marie assumiu o espólio através de uma administradora gerenciada por Barry Siegel, e sua mãe se tornaria apenas uma curadora. Atoladas em dívidas elas venderam 85% da Elvis Enterprise para Robert Silbermann anos mais tarde, algo por volta de U$ 85 milhões de dólares, deixando a família Presley com apenas 15% de participações. Silbermann em 2013 interessado em dinheiro, revendeu sua parte para a empresa Authentic Brand Groups, que hoje é quem administra a mansão de Graceland e direitos autorais das obras de Presley. 

Em 2016, o fundo deixado por Elvis para sua filha, Lisa Marie, tinha apenas U$ 14 mil dólares. Além disso, ela possuía dívidas que somadas geravam em torno de U$ 500 mil dólares. A empresa Authentic Brand Group que também é dona da Elvis Enterprise, chegou em 2018 a ter um lucro estimado em U$ 110 milhões de reais, sendo U$ 80 milhões somente com operações em Graceland, e o restante sob direitos autorais de músicas, livros, produtos, inclusive da cinebiografia “Elvis”. 

Briga longa.

Pouco antes de morrer, Lisa Marie, filha de Elvis, ainda reverteu na justiça e conseguiu receber cerca de U$ 1,5 milhões de dólares, que não era nada, porque suas dívidas somavam algo em torno de U$ 3 milhões de dólares, mesmo com títulos avaliados em U$ 800 mil dólares.

Após a morte da mãe, Riley Keough, filha de Lisa Marie, herdou os 15% da Elvis Enterprise – Lembrando que a propriedade de Graceland pertence a família Presley -a empresa Authentic é uma administradora, por isso que a Naussany Investiments queria leiloar a mansão para quitar as dívidas de Riley, provenientes ainda dos atropelos da mãe. É como se você tivesse um imóvel e alugasse para uma empresa funcionar lá dentro. 

Para complicar mais ainda, Riley rompeu com a avó, Priscila. As ações judiciais tentam reverter negociatas de quase 40 anos. A briga está tão feia que no filme, “Priscila” não tocam músicas originais de Elvis, porque a Authentic Groups não autorizou a execução. É uma banda chamada “Venus” que faz covers particulares das músicas. Os últimos anos estão complicados para família Presley. O suicídio do neto do rei do rock, Benjamin em 2020, e a morte de Lisa Marie em 2023 acabou virando um legado negativo para os Presley.