As mães que trouxeram seus filhos para a vida e para o mundo da música

Neste artigo homenageamos algumas mães famosas que influenciaram presencialmente ou por genética os seus filhos a seguirem a carreira musical e artística. Então, confira:

Yoko Ono e Sean Lennon

Sean Lennon, filho de John Lennon & Yoko Ono, só veio despertar para a carreira musical durante os anos 90. Sean tinha apenas 5 anos quando o pai foi assassinado, e ficou a cargo de Yoko cria-lo, e durante alguns anos de forma bem protetora. 

Contudo, Yoko, como pianista clássica e artista plástica incentivou o filho para as artes, além do mais, inseria Sean ao convívio do mundo artístico.

David Bowie foi por anos uma espécie de padrinho musical do garoto.

Um outro fato, Yoko aproximou o filho, do meio irmão e músico Julian Lennon, que na época já era adulto. 

Sean e Yoko já realizaram trabalhos musicais juntos. Hoje, com 47 anos o músico mantém um projeto artístico no circuito alternativo. Além disso tem um visual lembrando o Lennon de 1969.

Rita e Beto Lee

Beto Lee, é o filho mais musical, da rainha do rock Brasil, Rita Lee, que morreu nesta segunda-feira, (08). Um fato curioso é que ela estava Grávida de Beto, em 1976, quando foi presa pela ditadura militar.

Dentro de uma família musical, Beto Lee começou a tocar guitarra aos dez anos de idade, e durante a adolescência montou sua primeira banda.

Logo depois já faria parte dos músicos da grupo da mãe e do pai, Roberto de Carvalho em turnês pelo Brasil. 

Além de tocar com a mãe Rita lee, Beto já fez participações com diversos artistas nacionais, como por exemplo, Barão Vermelho, Gilberto Gil, Cachorro Grande, Milton Nascimento.

Em 2016 fez parte dos Titãs, substituindo Paulo Miklos. 

Cássia Eller e Chicão

Cássis Eller, faleceu quando Chicão tinha apenas 8 anos, no entanto, o menino ainda chegou a fazer uma pequena participação em 2001, tocando percussão em um show da mãe no Rock In Rio em 2001 durante a execução de “Smell Like Teen Spirit”. 

Chicão, órfão da mãe e também do pai, Tavinho Fialho, que faleceu pouco antes de seu nascimento, protagonizou um caso inédito na justiça brasileira.

O pai de Cássia, em busca da guarda do neto, entrou com um processo judicial. No entanto, Cássia tinha um relacionamento com Maria Eugenia, e embora não fosse casada, expressou em uma entrevista o desejo de legalizar o casamento para garantir direitos ao filho.

Sendo assim, em uma decisão inédita na época, a justiça concedeu a guarda a Maria Eugenia, companheira de Cássia Eller.

Hoje, cantor, Chicão já realizou projetos com Ana Cañas e Teté Espindola, além disso, a sua música“Ribanceira”, fez parte da trilha sonora da novela “Pantanal” da rede Globo, exibida em 2022. 

https://navecriativa.com/erra-uma-vez-o-livro-que-vai-te-guiar-em-busca-da-realizacao-pessoal-e-profissional/

Elis Regina e Maria Rita

Maria Rita, filha de Elis Regina, causou alvoroço no mundo musical quando lançou seu primeiro disco em 2003.

A semelhança vocal, e a performance no palco revelavam a influência que a mãe teve na carreira da filha. Maria Rita tinha apenas 4 anos quando a mãe morreu.

Contudo, a carreira musical começou um pouco mais tarde, Maria Rita pretendia seguir a carreira de jornalista, tanto que estagiou na revista Capricho e depois mudou para os Estados Unidos onde cursou comunicação social. 

Mas a música sempre estava presente, e ela mesma na época da faculdade já participava de shows musicais interpretando musicas brasileiras.

Na volta ao Brasil participou da produção do disco do irmão, Pedro Mariano, dando o pontapé para seguir a carreira musical. 

O primeiro disco de Maria Rita vendeu cerca de 1 milhão de cópias, e ganhou o grammy latino como melhor disco de mpb, artista revelação e melhor música, com a canção, “A festa”.

Este CD de estreia vinha com duas faixas interativas para baixar pela internet, um fato, sobretudo, inovador para o ano de 2003.

João Marcelo e Pedro Mariano também filhos de Elis se tornaram músicos, além de produtores musicais.

Baby do Brasil e Sarah, Nãna e Zabelê

 

Baby do Brasil ou Baby Consuelo, cantora da lendária banda Os Novos Baianos, teve três filhas, Sarah Sheeva, Zabelê e Nãna Shara. Assim como a mãe, o trio enveredou pelo caminho da música.

Sarah, que hoje tem 49 anos chegou até a cantar com a banda dos Pais Baby e Pepeu ainda com três anos. 

No entanto, foi nos anos 90 que as três firmaram uma carreira musical criando o grupo SNZ, durando até o começo de 2000, depois do sucesso de “Longe do mundo”. 

Sarah deixou o grupo e passou a ser missionária e pastora evangélica, usando o talento como cantora em músicas do estilo gospel. Além disso ela chegou a escrever dois livros, “Defraudação emocional” e “Onde foi que eu errei”.

Sarah aderiu ao celibato e já confessou que não faz sexo faz 20 anos

Nãna Shara é casada com o músico e pastor evangélico Brinco, e também se lançou na carreira da música gospel.

Zabelê seguiu a carreira musical no mundo pop gravando álbuns solo como, “Auê”, de 2021, contando, inclusive com participações de Carlinhos Brown e Ney Matogrosso. 

Livro, “A máquina do Caos”: como as redes sociais estão reprogramando nossas vidas.

Luiza Possi e Zizi Possi

Luiza Possi cresceu no mundo musical, filha de Zizi, a cantora de 38 anos começou a carreira musical no começo dos anos 2000. Com estilho voltado para mpb e o pop.

Luiza chegou a ser apresentadora do programa “Jovens tardes”, além de ser jurada do “Ídolos”.

Por fim, os momentos considerados especiais para Luiza está quando por diversas vezes dividiu o palco cantando com sua mãe Zizi.