The Beatles: “In My Life” uma poesia em forma de canção autobiográfica.

“In My Life”, foi uma composição de John Lennon para lembrar dos tempos de Liverpool de uma forma mais poética.

Por Sandro Abecassis

Em 1965, Os Beatles já sentiam o peso da fama, as turnês exaustivas, o fato de não poder sair à esquina, os repórteres a toda hora querendo entrevistas, além das obrigações com a produção de discos, filmes, programas de TV e Rádio. 

Sendo assim, as bobinhas canções de amor e sobre garotas já estavam sendo deixadas de lado, ou adquirindo um novo enredo. Isto já era visível desde “Beatles For Sale”.

A passagem pela escola de arte nos anos 50, a experiência de Hamburgo, o encontro com Bob Dylan, as vivências de Paul e John no cenário cultural do swing London, colaboraram com o avanço do modo de compor. 

Como por exemplo, em “In My Life”, presente no álbum Rubber Soul de 1965. A composição de John Lennon começou a ser esboçada como uma autobiografia ainda em 1964, falando sobre a infância e a juventude em Liverpool. 

The Beatles: em 1969, um jornalista escreveu que o álbum Abbey Road era um desastre.

Os versos manuscritos eram: 

Penny Lane é um dos que estou sentindo falta

Subindo a Church Road até a torre do relógio

No círculo da abadia

Eu vi algumas horas felizes

Passando pelos bondes sem bondes

No ônibus 5 para a cidade

Passando pelos Holandeses e São Colombo

Até o guarda-chuva Dockers que eles empilharam

No entanto, Lennon largou a letra de lado e só voltou a trabalhar nela em 1965. Ele queria tirar os lugares da letra, e deixar algo mais universal, é quando consegue compor do modo como conhecemos, citando um lugar de onde sente falta, dos amigos que ainda estavam vivos, como por exemplo, Pete Shotton, seu companheiro de infância e adolescência e Stuart Sutcliff, amigo da escola de arte que virou acidentalmente o primeiro baixista dos Beatles, e morreu em 1962

Além obviamente citar de forma poética a esposa Cynthia e sua Tia Mimi.

“All these places had their moments (Todos esses lugares tiveram seus momentos). With lovers and friends I still can recall (Com amores e amigos que eu ainda me lembro).Some are dead and some are living (Alguns estão mortos e alguns ainda vivem). In my life I’ve loved them all (Em minha vida, eu amei todos eles)”.

Paul McCartney, em Many Years From Now, de Barry Miles, confirma que John já tinha os primeiros versos e Paul lembra trabalhar na melodia inspirada em Smokey Robinson & The Miracles, como na canção, “You´ve really got a hold on me” e “Tears of a clown”. 

“A gente remonta a alguma coisa de que gostou e tenta captar o espírito daquilo e compor algo novo. Assim lembro de ter composto toda a melodia. Se você analisar ela parece muito minha”. lembra McCartney

Na famosa entrevista para revista Playboy em 1980, Lennon comentou, “Paul me ajudou a compor a melodia da parte B. A letra já estava pronta antes que Paul a tivesse ouvido. A contribuição dele para “In My Life”, foi melodicamente, a harmonia”. 

O Solo

Considerado “O quinto Beatle”, George Martin criou o solo no piano para “In My Life”, com inspiração no compositor Sebastian Bach e na música barroca. Contudo, Martin não conseguia tocar tão rápido para acompanhar a canção e gravou do jeito que compôs e depois na mixagem aceleraram o solo para caber na faixa. Ouça o solo original, e depois mude a velocidade para 2x e veja como foi exatamente isso que fizeram

Por fim, uma última curiosidade sobre “In My Life”, George Harrison executou a música ao vivo em show no Madison Square Garden, na cidade de Nova Iorque, no dia 11 de novembro de 1974, a banda tinha Billy Preston nos teclados. Então, Veja.