The Beatles: em 1969, um jornalista escreveu que o álbum Abbey Road era um desastre.

Nik Cohn, jornalista do New York Times, fez duras críticas ao recém lançado Abbey Road, cometendo até gafes imperdoáveis pelos amantes da boa música.

Em 26 de setembro de 1969, Os Beatles lançavam verdadeiramente seu último álbum, ‘Abbey Road”. Afinal, Let It Be, sairia em maio de 1970, mas já tinha sido gravado nas sessões de janeiro de 1969. 

Na ocasião do lançamento de Abbey Road o público não sabia, mas a banda já havia acabado. John Lennon havia comunicado aos outros três e Allen Klein que estava fora da banda. Contudo, convenceram Lennon a segurar a informação pelo menos até o final do ano. Ele aceitou.

“Something”, composição de George Harrison, e “Come Together” ficaram entre as 20 primeiras colocações em outubro de 1969, ao lado de “Suspicious Mind”, de Elvis Presley no Hot 100 da Billboard.

No entanto, nem todo mundo gostou do álbum, “Abbey Road”. Como foi o caso do New York Times, quando publicou uma matéria com uma crítica ácida sobre o disco. 

A matéria saiu no dia 5 de outubro de 1969, em um página inteira escrita pelo jornalista, Nik Cohn. O título: “The Beatles: For 15 Minutes, Tremendous”, algo como, “The Beatles, por 15 minutos, tremendo”. 

Cohn analisou as canções e escreveu textos como,  “Individualmente, os números não são nada de especial … e algumas das letras são bastante dolorosas” . Conforme escreveu

E continuou: 

“Havia um tempo em que os Beatles tinham as letras como uma de suas maiores atrações. Não mais. Em Abbey Road, você tem apenas marshmallow”

“Em Abbey Road, as palavras são estranhas, pomposas e falsas.”

“Este álbum é absoluto desastre.”

“A maldade varia de mero suave tédio para um constrangimento servil.”

Então, a pior de todas:

“Oh! Darling,’ Lennon em uma orgia de goles, uivos e quase vômitos, atirado junto ao acaso.”(Um detalhe, não é John quem canta, “Oh!Darling)

Mas podia ficar pior:

Nik nomeou as duas canções de George Harrison, “Here Comes The Sun” e “Something”, como “encarnando a mediocridade”. Nos próximos anos, “Something” viria a ser gravada por Frank Sinatra, Elvis Presley, Ray Charles e James Brown. 

A matéria inteira é cheia de frases de efeitos criticando muito o álbum, como por exemplo, “chato além da crença” e cheia de “mediocridades profundas.” 

Nik crítica Phil Spector pela produção do álbum, sendo que o trabalho ficou a cargo de George Martin e Geoff Emerick 

Por fim, a matéria original está neste link