The Beatles, “Get Back” de ironia com imigração à maconha e mulher transexual.

The Beatles, “Get Back” de ironia com imigração à maconha e mulher transexual

Por Sandro Abecassis

“Get back”, de por Paul McCartney em 1969, foi escrita durante as sessões nos estúdios Twickenham e Saville Row, no período da produção do álbum e do filme “Let it Be”.

No documentário “The Beatles: Get Back”, dirigido por Peter Jackson e exibido pela Disney, em que ele recuperou mais de 60 horas de vídeos originais, é possível ver Paul McCartney chegando e mostrando para os outros a melodia, com algum trecho de letra, desenvolvida ao longo daquele mês de Janeiro de 69.

No entanto, em um dos ensaios dos Beatles, antes da letra estar pronta, Paul ironiza e brinca com um tema muito controverso naqueles dias no país.

Na época, a Inglaterra recebia imigrantes do Quênia, Índia e Paquistão, e o parlamento deportou muitos deles pelo fato de o governo recusar empregar estrangeiros.

“I Want to Hold Your Hand”: a canção que marcou o início da Beatlemania nos EUA.

Foi então que Paul cantarolou uma letra sobre o tema, que durante muito tempo acreditou-se que era a original. Tanto é que, em muitos discos piratas, a música não aparece como “Get Back”, e sim com o título “No Pakistanis”. Em um dos versos, dizia:

“Don’t dig no Pakistanis takin’ all the people jobs; Get back, get back, get back to where you once belonged” (“Não apoie paquistaneses pegando os empregos de todas as pessoas; Volte, volte, volte para o lugar de onde você veio”)

ou

“Meanwhile back at home too many Pakistanis living in a council flat; Candidate Macmillan, tell us what your plan is, won’t you tell us where you’re at?” (Enquanto isso, em casa, muitos paquistaneses moram em um apartamento municipal; Candidato (Malcolm) Macmillan, diga-nos qual é o seu plano, você não vai nos dizer onde você está?)

“Don’t need no Puerto Ricans living in the USA” (Não precisamos de porto-riquenhos morando nos Estados Unidos)

Então, veja Aqui:

Era muito comum os Beatles, durante os ensaios, satirizarem temas daquela época quando ainda não havia letra para algumas canções. Eles muitas vezes pegavam os jornais e liam as matérias em cima das músicas inacabadas.

Sweet Loretta Martin

Ao saírem do frio estúdio de Twickenham, depois que George deixou brevemente a banda, os Beatles se instalaram no estúdio improvisado do escritório da Apple em Saville Row, após uma reunião com George, onde ele concordou em voltar para o grupo.

Naquele momento, os Beatles convidaram Billy Preston para participar das gravações. Ele foi essencial para dar vida a “Get Back”.

Naquela ocasião, a letra já contava a história de Jojo em busca de maconha na Califórnia e Sweet Loretta Martin, que provavelmente seria uma mulher trans. ou um travesti.

A letra diz: “Sweet Loretta Martin thought she was a woman, but she was another man.” (A doce Loretta Martin pensou que ela era uma mulher, mas ela era outro homem).

Curiosidades

Lennon, em uma entrevista disse que achava que o verso, “volte para o lugar de onde você veio”, se referia a Yoko Ono.

Outro fato curioso: o solo da música é tocado por John e não por George, e em um dos takes do show do telhado. Lennon fala ao final: “Thanks, Mo” em resposta aos aplausos de Maureen Starkey, mulher de Ringo, e completa, “Gostaria de agradecer em nome do grupo e de nós mesmos e espero que tenhamos passado no teste”.

Contudo, uma ironia, afinal a banda já tinha alcançado o auge da fama. 

Por fim, esta versão está no álbum Let It Be, produzido por Phil Spector. Então, Veja aqui o Trailer de “The Beatles: Get Back”, de Peter Jackson.