Jovem autora narra sua luta contra anorexia no livro, “Comendo Com Medo”.

Elisabeth Karin, inspirou-se em sua batalha contra a anorexia para criar uma narrativa onde o transtorno é personificado como o monstro Nore

Baseado nas experiências pessoais da autora, a novela gráfica, “Comendo com Medo” retrata o trajeto que ela percorreu durante sua batalha contra a anorexia. A protagonista enfrenta esse transtorno como um monstro que a acompanha, desde os gatilhos que a levaram aos pensamentos e comportamentos prejudiciais até as dificuldades em encontrar tratamento para sua recuperação.

Jovem autora narra sua luta contra anorexia no livro, "Comendo Com Medo".

No desfecho, breves informações são fornecidas sobre diversos distúrbios alimentares. Segundo a OMS, aproximadamente 4,7% dos brasileiros são afetados por esses distúrbios, chegando a 10% na adolescência. Esses transtornos resultam de uma interação complexa de fatores, incluindo dietas restritivas, pressões midiáticas e mudanças hormonais próprias da adolescência.

O livro de Elisabeth pode ser uma leitura esclarecedora tanto para pais quanto para adolescentes, especialmente para aqueles que estão formando sua autoimagem.

Sinopse:

Jovem autora narra sua luta contra anorexia no livro, "Comendo Com Medo".

Elisabeth enfrenta os desafios típicos da adolescência: divórcio dos pais, mudança de escola, queda nas notas e relações passageiras. No entanto, ela carrega um fardo adicional: Nore. Este companheiro invisível a acompanha constantemente, oferecendo segurança e incentivando-a a perder peso. Controlando sua ingestão de alimentos e criticando-a por qualquer deslize, Nore exerce um controle tirânico sobre Elisabeth. Mas quando seu corpo alcança um limite crítico, ela acaba admitida na Sala Branca, onde criaturas como Nore não têm entrada.

LEIA TAMBÉM: “Grande Sertão”, traz Caio Blat e Luisa Arraes em adaptação de clássico brasileiro.

Elisabeth Karin Pavón Rymer-Rythén é uma residente de Madri nascida em 1995. Ela  atua como designer e ilustradora, enquanto também se dedica à cerâmica, pintura e escultura em seu tempo livre. Portanto seu processo criativo está centrado na narrativa, buscando transformar cada trabalho em uma história significativa.

Sendo assim, no livro “Comendo com Medo”, Elisabeth aborda abertamente os transtornos alimentares e a pressão cultural em torno da imagem corporal em nossa sociedade.

Ela contribuiu para editoras como Norma Editorial e Piezas Azules. Em 2022, lançou sua primeira novela gráfica, “Comendo com Medo”, pela editora Astronave, recebendo o prêmio Nadine 2020.

Por fim, Neste projeto lançado pela Ciranda Cultural através do selo Principis ela mergulha na problemática da anorexia a partir de suas próprias experiências. Buscando, sobretudo informar, sensibilizar e gerar discussões sobre os transtornos alimentares por meio da ilustração.