“Herança Roubada’, da Netflix, destaca luta pela preservação da cultura Sami

“Em ‘Herança Roubada’, Elsa, uma jovem do povo Sami, confronta um sistema opressor para proteger sua comunidade. Disponível na Netflix desde sexta-feira.”

“Herança Roubada” estreou na última sexta-feira, 12, na Netflix. A  trama relata uma jovem que luta para manter seu povo ancestral viva em uma comunidade da Suécia. 

O povo em questão é o Sami, que semelhante aos povos nativos de todo mundo, sofrem com extermínio, saques, e devastação de suas terras por grupos poderosos. 

Os “Sami” são em torno de 70 mil hoje, e ocupam as áreas costeiras de países como Suécia, Rússia, Finlândia e Noruega. 

"Herança Roubada', da Netflis, destaca luta pela preservação da cultura Sami
Elsa (Elin Oskal). Divulgação.

Em “Herança Roubada”, dirigido por Elle Márjá Eira e adaptado por Peter Birro, tem inspiração no livro de 2016 da escritora Ann-Helen Laestadius. No enredo, Elsa (Elin Oskal) é uma jovem do povo Sami, cuja família depende dos pastoreios de renas. Além disso, eles lutam para manter não só as tradições, mas também o respeito, cuidado e conexão com o ecossistema da região. 

INSTIGANTE: “Desaparecida”, filme policial argentino aborda o tráfico humano.

No entanto, eles têm que enfrentar um sistema opressor que os exclui e ainda tipifica a família com diversos estereótipos, como se fossem inferiores. Para piorar, a família de Elsa começa a ser perseguida por um homem chamado Robert, que assassina a Rena branca da jovem. Contudo, a morte de mais Renas começa a ser sistemáticA, que é justamente uma forma de oprimir e ameaçar a sobrevivência do povo Sami daquela região.

Sendo assim, sem ajuda da polícia ou dos governos, Elsa vai tentar sozinha lutar para que a sua comunidade não morra, enfrentando este grupo poderoso. Por fim, confira o trailer de “Herança Roubada” e agende para assistir.