Talking Heads: reunião à vista ou apenas nostalgia?

Chris Frantz, ex-baterista da banda publicou nas suas redes sociais um post sugestivo.

O baterista do Talking Heads, Chris Frantz, acendeu a chama da esperança nos fãs da banda ao publicar uma mensagem enigmática em suas redes sociais: “Vamos voltar”. Acompanhando a frase, uma imagem do icônico Pantages Theatre em Los Angeles, palco da gravação do lendário filme “Stop Making Sense”, com datas e informações sobre ingressos.

 Talking Heads: reunião à vista ou apenas nostalgia?

Seria essa a confirmação de uma tão esperada reunião? Ou apenas uma jogada de marketing para promover a sessão de perguntas e respostas e exibição do filme no próximo mês?

Os fãs, claro, se animaram com a possibilidade. Comentários como “Sphere… por favor, por favor” e “Não brinque comigo, Christopher” inundaram as redes, implorando por um retorno aos palcos.

Tretas ainda não desatadas. 

Talking Heads (Tina Weymouth, Jerry Harrison, Chris Frantz, David Byrne), Bolonha, Itália, 1982. (Foto de Luciano Viti/Getty Images)

No entanto, a realidade pode ser menos empolgante. A sessão de perguntas e respostas com a banda no dia 4 de junho é o evento mais concreto até o momento.

Ainda que os quatro membros – Chris Frantz, David Byrne, Jerry Harrison e Tina Weymouth – tenham feito uma aparição pública em 2022 para a exibição remasterizada de “Stop Making Sense”, o relacionamento entre eles não é dos mais harmoniosos.

Weymouth já se referiu a Byrne como “inseguro” e Frantz comentou que o vocalista “não consegue imaginar que mais alguém seria importante”. Apesar das diferenças, rumores de uma reunião circulam há meses, com ofertas milionárias recusadas pela banda.

O próprio Byrne, em entrevista ao The New York Times, lamentou a forma como o Talking Heads se separou e se comparou a um “pequeno tirano” na época.

Enquanto isso, os fãs se contentam com a remasterização 4K de “Stop Making Sense”. Além de o álbum tributo “Everyone’s Getting Involved”, com covers de artistas como Girl In Red, Lorde, Miley Cyrus e Paramore.

Então, resta saber se a mensagem de Frantz era apenas nostalgia ou se realmente há planos para um retorno do Talking Heads aos palcos. Só o tempo dirá. Por fim lembrando que são sempre os bateristas que sonham com o retorno de bandas que acabaram.