The Rolling Stones: “Satisfaction”, o hit que fez a banda conquistar os Estados Unidos.

The Rolling Stones: “Satisfaction”, a canção que elevou os Rolling Stones a categoria de grande banda do rock mundial

Por Sandro Abecassis

O verão de 1965 no hemisfério norte foi realmente uma temporada quente, e não só pelo clima. O rock dominava as paradas da Billboard, e uma música em particular ficou semanas entre as três mais, “(I Can´t Get No) Satisfaction”, dos Rolling Stones.

Contando um pouco da história, Os Stones faziam parte daqueles grupo de rock conhecidos como Invasão Britânica, surgidos na onda dos Beatles em 1964, quando os olhos das rádios, TVs, gravadoras, produtoras e do público norte-americano enlouqueceram com o som que vinha da Europa. 

Sendo assim, os “Invasores do rock britânico” eram principalmente, Os Beatles, The Rolling Stones, The Animals, The Kinks, The Who e Yardbirds.

Na época, em 1963 e 64 Os Stones ainda faziam um som voltado para blues mas já começavam a tocar nos bares e casas de shows famosas de Londres.

Diz a lenda que o produtor, que dispensou Os Beatles na gravadora DECCA, tentou se redimir com os rapazes. Pediu a indicação de uma banda para George Harrison, o guitarrista sugeriu para que eles fossem ver Os Rolling Stones tocando. 

Coincidência ou não, a banda de Mick Jagger assinou com a DECCA. Os primeiros Hits, uma composição doada pelos amigos Lennon/McCartney, “I Wanna be your Man”, e também “Tell me” e “Come On I Want To be Loved” de Chuck Berry.

1965

O hit que transformou a carreira dos Rolling Stones ganhou vida em 1965. Jagger acordou com a ideia de um riff na cabeça, era o inicio de “Satisfaction”.

Assim, ele mostrou para Keith Richards que melhorou a conhecida introdução. Mick queria metais fazendo o riff, mas Ian Stewart, pianista que acompanhava os Stones, conseguiu um pedal de efeito fuzz para que Richards fizesse algo próximo. Nasceu “(I Can´t Get No) Satisfaction”.

 

Richards achava a música parecida com “Dancing in the Streets” do grupo vocal Martha & The Vandellas. Talvez influência.

A canção era uma “agulhada” nas emissoras de rádio e na veia comercial da época:

“When I’m driving in my car. When a man come on the radio. He’s telling me more and more. About some useless information. Supposed to fire my imagination”

(Quando estou dirigindo meu carro. Quando um homem vem no rádio. Ele está me dizendo mais e mais. Sobre algumas informações inúteis. Supostamente para disparar minha imaginação)

When I’m ridin’ ‘round the world, And I’m doin’ this and I’m signin’ that ( Quando eu estou viajando ao redor do mundo e eu estou fazendo isso e estou assinando aquilo)

Além do mais tinha uma conotação sexual, tanto é que no começo só tocava em rádios piratas, uma frase dizia sobre ter sido dispensado por uma garota, talvez pelo fato de ela estar menstruada: 

And I’m tryin’ to make some girl, who tells me, Baby, better come back maybe next week (E eu estou tentando fazer uma garota, quem me diz: Baby, melhor voltar talvez na próxima semana)

Primeiro Hit nos EUA

Satisfaction”, virou o primeiro Hit dos Rolling Stones nos Estados Unidos e na Inglaterra em Julho de 1965.

A banda já havia pisado em solo americano para duas turnês, em 1964 e 65, se apresentando inclusive no Ed Sullivan Show.

Contudo, o próprio Bill Wymann considerava tanto as turnês, quanto as aparições no Ed Sullivan como um fracasso, “[Foi] um desastre. Quando nós chegamos, não tínhamos um disco de sucesso ou qualquer coisa acontecendo para nós”. Conforme contou.

No entanto, em 16 de fevereiro de 1966 Os Stones voltariam a se apresentar ao vivo no Ed Sullivan.

Já em cores, a banda tocou “Satisfaction”, a música que fez a banda finalmente conquistar a América. Uma curiosidade, a faixa já estava estourada desde julho de 1965, e a banda só se apresentaria no programa seis meses depois, mesmo tendo feito uma turnê no fim do ano nos EUA.

As apresentações dos Stones no The Ed Sullivan Show deram origem a um DVD especial lançado em 2011.

 

“(I Can´t Get No) Satisfaction”, deu a moral para que os Stones fizessem discos mais elaborados. Como por exemplo, o “AfterMath” de 1966, trazendo canções como “Lady Jane”e “Under My Thumb”.

Além disso, o hit fez a banda encontrar uma sonoridade e marca registrada, sendo que a partir daí surgiriam composições como, “Jumpin´Jack Flash”, “Sympathy For The Devil”, “Street Fight Man”, “Gimme Shelter” e tantas outras. 

Mas mesmo assim, a banda ainda iria flertar na cola dos Beatles, porém algo como óleo e água, no entanto, proposital. Os Beatles e Os Stones eram muito próximos, mas falaremos disto em outro texto.

Por fim, veja a apresentação dos Rolling Stones no The Ed Sullivan Show em 1966