Sophie Charlotte conta sobre a emoção de interpretar Gal Costa em filme.

“Meu Nome é Gal”, é uma cinebiografia sobre a diva da MPB tendo como protagonista a atriz Sophie Charlotte.

O filme, “Meu Nome é Gal”, estreou na última quinta-feira, 12 de outubro, nos cinemas brasileiros. A cinebiografia conta a trajetória da cantora Gal Costa, interpretada pela atriz Sophie Charlotte, que por cinco anos entrou intensamente na vida da diva da MPB para viver o papel.

Em entrevista ao programa Fantástico deste domingo, 15, a atriz descreveu a emoção de fazer o filme, e principalmente por tido o aval da própria Gal Costa para a interpretar o papel.

Uma emoção indescritível chegar nesse momento da nossa jornada. Todas as vezes que eu a encontrei, sempre mantive um recato nesses encontros. Sempre uma doçura, uma simplicidade, uma afetividade muito grande comigo. Isso é inesquecível, me marcou profundamente”, disse a atriz”. Contou.

O Filme

O longa conta a trajetória de Gal Costa desde o início nos anos 60, inclusive com a escolha do nome artístico, sugerido pelo amigo Gilberto Gil, interpretado por Dan Ferreira, mas que Caetano Veloso (Rodrigo Lélis) não aprovou muito, apesar de já chamá-la daquele modo. 

A diretora do filme Dandara Ferreira contou na entrevista que descobriu que Sophie Charlotte cantava através de Gal Costa. 

“Liguei pra Gal e falei: ‘Gal, pensei na Sophie Charlotte. O que você acha?’ Ela amou. E, depois, ela falou: ‘Várias cantoras tentam imitar minha forma de cantar, mas a Sophie tem o mesmo timbre que o meu’. Mas eu falei: ‘Onde você viu? Como você sabe?’ Ela falou: ‘Eu vi ela cantando Sua Estupidez, com Roberto Carlos’”, relembrou a diretora.

“Poder cantar no filme, descobrir, aprender com ela, que no momento do filme era pra aproximar, buscando uma aproximação vocal, mas que também era um aprendizado sobre respiração, sobre escolhas musicais que ela fez. A voz de cristal, a voz absoluta. Eu amo cantar, então foi uma escola”, conforme revelou Sophie.

Dandara Ferreira também atua em “Meu Nome é Gal”,  interpretando Maria Betânia. Aliás Caetano, Gil, Betânia e Gal Costa, formaram nos anos 70 o grupo chamado Doces Bárbaros. 

O filme recria shows históricos de Gal Costa, a participação dela no movimento tropicalista, além de todo enfrentamento da repressão por conta do governo militar na época. 

Por fim, veja o trailer de “Meu Nome Gal”: