Led Zeppelin I: as curiosidades sobre o álbum de estreia da banda.

Led Zeppelin I, um álbum clássico que marcou a estreia de uma das maiores bandas de rock do planeta.

O ano de 1969, é marcado por importantes acontecimentos no mundo do rock. A exemplo de festivais como WoodStock, e Altamont, este último uma verdadeira tragédia. Mas por outro lado, o lançamento de álbuns que se tornaram clássicos: Os Beatles (Abbey Road), The Who (Tommy), Os Rolling Stones (Let It Bleed) e o Led Zeppelin, com dois álbuns I e II.

No entanto, vamos falar do trabalho de estreia do Zeppelin, o álbum I, lançado em 12 de janeiro de 1969. A banda gravou as faixas no Olympic  Studios em Londres, no mês de outubro. Eram composições compostas e arranjadas quando a banda ainda se chamava “The New Yardbirds”, em referência a antiga banda de Jimmy Page. 

É interessante lembrar que a formação original, Robert Plant, Jimmy Page, John Paul Jones e John Bonham, foi formada poucos meses antes do lançamento do primeiro álbum.

O fim dos Yardbirds

Page já estava farto dos Yardbirds, e por volta de julho de 1968 resolveu montar uma nova banda, Chris Dreja assumia o baixo provisoriamente, e Jimmy pensou em chamar Steve Marriott ou Terry Reid como vocalista, mas, Terry sugeriu um cara chamado Robert Plant, que aceitou e sugeriu o nome de John Bonham para bateria. Contudo, Page só convenceu Bonham a entrar na banda com a garantia que sua bateria ganhasse destaque, nem precisava pedir.

John Paul Jones completou a formação depois, e a banda ainda atuou se chamando, “The New Yardbirds”. Eles ensaiaram algumas canções da antiga banda de Page e partiram para a Escandinávia em uma pequena turnê. 

Nesta tour nasceram a maioria das canções presentes no primeiro álbum, gravadas quando voltaram para a Inglaterra. As gravações duraram cerca de 36 horas, e custaram apenas 1.782 Libras. Page usou duas guitarras emprestadas nas faixas, uma Fender stratocaster com cores psicodélicas, e uma Gibson J-200 cedida pelo guitarrista Big Jim Sullivan.

A intenção de Page era ter também Jeff Beck em uma segunda guitarra, tanto é que na época Keith Moon e John Entwistle comentaram que isso cairia como um “Balão de chumbo” (Led Zeppelin), e deu o estalo, a partir daí a banda mudaria de nome. Ou seja, em menos de 6 meses seria formada a maior banda de hard rock do planeta.

As faixas

Good Time Bad Times

A canção tem inspiração em uma música de Chuck Berry chamada “Brown Eyed Handsome Man”, e fala sobre atingir a maioridade mas ter sua garota levada por um cara de olhos castanhos. Jimmy Page usou um amplificador Leslie para dar um efeito de um riff giratório. 

“John Paul Jones criou o riff. Eu tinha o refrão. John Bonham aplicou o padrão de bumbo. Esse realmente moldou nosso processo de composição. Foi tipo, ‘ Uau, todo mundo está entrando em erupção ao mesmo tempo”. conforme disse Page a revista Rolling Stone. 

John Bonham criou uma forma de tocar, como se tivesse tocando dois bumbos, mas tocava um só.

Babe I´m Gonna Leave You

Essa faixa é de 1959, composta por Anne Bredon e gravada por Joan Baez em 1962, no entanto, até então a música era creditada como, “tradicional”. Então, Page pegou a canção colocou uns arranjos flamencos unidos ao vocal melancólico de Plant. No álbum original, a faixa é creditada como, “Tradicional, arranjada por Jimmy Page”.

No entanto, anos depois o nome de Brendo entrou nos créditos da canção, obviamente depois de um acordo judicial. 

You Shook Me

A composição clássica de Willie Dixon e JB Lenoir, gravada por Muddy Waters, já era tocada na época dos Yardbirds, uma curiosidade é a gratidão de Muddy Waters pela banda ter gravado a canção. “Sinto-me bem, claro que gosto. Adoro. Gostaria que alguém chamasse meu nome cinquenta milhões de vezes por dia. Quanto mais você ligar, mais pessoas ouvirão. Isso não me incomoda.”

Dazed And Confused

A música vem também do período que Page tocava com Os Yardbirds. Certa vez eles tocaram com o músico folk Jack Holmes, que executou “Dazed And Confused” ao vivo. A música era viagem de ácido e paranoias, e já tinha as linhas de baixo que foram usadas posteriormente pelo Led Zeppelin. 

Os Yardbirds chegaram a tocar a canção mas não gravaram. Contudo, Page usou a canção no Led, mudando algumas harmonias e letras. Certamente, Holmes entrou na justiça pedindo os devidos direitos, e somente em 2012, após um acordo, a canção ficou creditada da seguinte forma: “Jimmy Page inspirado por Jake Holmes”. 

Your Time Is Gonna Come

Um Rhythm and Blues composto por Page e Plant, gravada em outubro de 1968, inspirada em uma canção de Ray Charles chamada “I Believe To My Soul”. Curiosidades sobre a música, Slash, guitarrista do Guns N´Roses considera a canção com sua preferida e a música foi regravada pelo Black Crowes em 1999 com a participação de Jimmy Page. 

Black Mountain Side

Com cerca de dois minutos, “Black Mountain side”, veio inspirada em uma canção folclórica do compositor Bert Jansch. A música originalmente se chama “Blackwater “. Anne Briggs, uma cantora folk, também chegou a fazer uma versão sua da música. “Eu não era totalmente original nisso. Tinha sido feito muito em clubes folk; Annie Briggs foi a primeira que ouvi fazer aquele riff. Eu estava tocando também , e depois havia a versão de Bert Jansch. Ele é quem cristalizou toda a execução acústica, no que me diz respeito. Aqueles primeiros álbuns dele foram absolutamente brilhantes.” Conforme contou Page em entrevista à Guitar Player.

Communication Breakdown.

Note que as grandes bandas também buscavam inspiração nos seus ídolos, e acima de tudo, mais uma vez, Page foi buscar em um deles, no caso de Communication Breakdown, Eddie Cochran, no riff de “Nervous Breakdown”, de 1959.

O curioso, Page usou um pequeno amplificador microfonado para criar o efeito de uma guitarra em uma caixa de sapatos. “

“Você está sempre acostumado com amplificadores de microfonação próxima, apenas colocando o microfone na frente, mas eu teria um microfone direto a parte de trás também, e então equilibrar os dois, para se livrar de todos os problemas de fase; porque realmente, você não deveria ter que usar um equalizador no estúdio se os instrumentos soassem bem. Tudo deveria ser feito com os microfones Mas veja, todo mundo ficou tão entusiasmado com os potenciômetros de equalização que esqueceram toda a ciência do posicionamento do microfone. Não há muitos caras que sabem disso. Tenho certeza que Les Paul sabe muito; obviamente, ele deve ter estava bem envolvido nisso, assim como todos aqueles que produziram os primeiros discos de rock onde havia um ou dois microfones no estúdio.” Disse Jimmy certa vez à revista Guitar Player.

I Can’t Quit You Baby

Sem dúvida uma das versões mais fortes deste álbum, com o poderoso vocal de Robert Plant abrindo a canção para um blues inspirado em outra composição de Willie Dixon, escrita para Otis Rush. Contudo, Jimmy Page não ficou muito contente com o resultado, como revelou a Guitar Player em 1977. “Há erros nisso, mas não faz nenhuma diferença. Sempre deixarei os erros. Não posso evitar. Os bits de tempo nas partes A e Bb estão certos, embora possa parecer errado. O tempo parece errado. Mas há algumas notas erradas. Você tem que ser razoavelmente honesto sobre isso”.

How Many More Times

Então, para fechar o álbum, “How Many More Times”, creditada a Page/Bonham/Jones, sendo inspirada em uma canção de Albert King, chamada “Hunter”, e em “How Many More Years”, de Howlin Wolf. 

A versão original tinha cerca de 8 minutos, só que acabou reduzida para 3:30 para poder tocar em rádios. O Led Zeppelin usava a canção para finalizar seus shows, era quando Robert Plant apresentava a banda. 

A Capa

 

Já com contrato assinado com a Atlantic Records, o Led Zeppelin ficou a vontade para produzir a capa do primeiro álbum. Sendo assim, o designer George Hardie criou um desenho a partir da foto do acidente com o dirigível Hindenburg, ocorrido em 1937. A foto da contracapa foi tirada pelo ex-baixista, Chris Dreja, e em um exemplar de 1970, essa foto chegou a ser distribuída na cor laranja, e hoje este exemplar é um item raro para colecionadores. 

Por fim, lembra da guitarra Fender Stratocaster com pintura psicodélica usada nas gravações? Page usa esta guitarra em uma apresentação na Dinamarca em 1969, onde a banda toca “How Many More Times”