Charlie Watts: livro sobre baterista dos Rolling Stones é lançado em pré-venda

Por seis décadas Charlie Watts esteve nos holofotes com os Rolling Stones. No entanto, o músico sempre se declarou avesso ao delírios da fama, sendo um anti-rockstar, mas deixando com primor sua marca no rock.

O músico que faleceu em 24 de agosto de 2021, era um fã de jazz e blues e deu vida a hits, como por exemplo, “Jumpin jack flash”, “Gimme Shelter”, “Street Fighting Man”, “Brown Sugar” e “Satisfaction”. Fazendo dos Stones uma das maiores bandas de rock do mundo.

Keith Richards certa vez declarou, “Sem Charlie, sem Stones”, sobre a importância do músico para o grupo. 

 

O Livro Charlie Watts: Sympathy for the drummer, do autor Mike Edison, que está em pré-lançamento na Amazon.com, e conta a história do baterista dentro e fora dos Rolling Stones. 

Curiosidades, o surgimento do interesse pela bateria, o início da convivência com o rock, o encontro com Keith, Brian Jones e Mick Jagger nos clubes antes da fama e o convite para entrar na banda, estão na obra.

Além disso, Charlie Watts: Sympathy for the drummer, traz também relatos de amigos, jornalistas e produtores que conviveram com o músico.

Histórias como a do muro em Mick Jagger nos anos 80.

Leia o trecho:

“O ano é 1984 e os Rolling Stones estão às turras, porém fazendo o possível para melhorar o relacionamento entre os membros da banda depois que Mick Jagger dá início a uma carreira solo.

Na tentativa de conversar amigavelmente, o grupo marca uma reunião em Amsterdã. 

Mick Jagger e Keith Richards estão num climão, mas decidem sair para encher a cara juntos — no caso, encher a cara aqui significa só enquanto Mick conseguir acompanhar Keith. 

 

Os dois retornam ao hotel por volta das cinco da manhã, devidamente mamados. Nesse ponto, contrariando o sábio conselho de Keith, Mick tem a brilhante ideia de ligar para o quarto de Charlie Watts e perguntar: “Onde está meu baterista?”

Vinte minutos depois, houve uma batida à porta do quarto de Mick Jagger. Lá estava Charlie Watts, usando um terno Savile Row, perfeitamente engomado, gravata, barbeado, perfumado, o pacote completo. 

Charlie passou diretamente por Keith, sem sequer olhá-lo, pegou Mick pega gola e disse: “Nunca mais me chame de seu baterista”. Então o acertou com um gancho de direita.”

Portanto, o livro nos leva a conhecer mais sobre a elegância, ousadia e talento de Charlie Watts junto aos Rolling Stones. São 224 páginas para ficar por dentro de um dos maiores personagens do rock mundial.