Após três anos de pesquisa, artista apresenta exposição inédita em Florianópolis

Objetos em cerâmica, vídeos e fotografias integram a mostra Transmudar da artista Adriane Kirst

A exposição Transmudar da artista Adriane Kirst, e que está em cartaz na Fundação Cultural BADESC, em Florianópolis, é fruto de três anos de pesquisa.

Com curadoria da própria artista, a exposição trata basicamente do amor pela vida em toda a sua completude. Seja o amor pelos bons e maus momentos, pela inconstância, pela finitude, ou ainda pela impossibilidade de parar o tempo, e a possibilidade de transformar as coisas.

Transmudar está em exposição na Fundação Cultural BADESC, em Florianópolis. crédito Juliano Zanotelli

Adriane destaca ainda que os trabalhos falam das repetições, acidentes, reviravoltas e das diferentes perspectivas para a roda da vida que está sempre a girar. “Espero que os trabalhos expostos sejam como dispositivos de encontros, trocas, amplificação de sentidos. Uma vez que a obra está lá, o mais instigante é o que pode ou não provocar em cada indivíduo que se propuser a interagir”, ressalta.

Essa é a primeira vez que a artista natural de Ipira, no Oeste de Santa Catarina, e atualmente morando em Florianópolis, expõe na Fundação Cultural BADESC, que fica na Rua Visconde de Ouro Preto, 216, no Centro de Florianópolis.

The Rolling Stones: Jumpin`Jack Flash, afinal, quem foi o tal Jack?

Transmudar

Sequências de fotografias, vídeos e conjuntos de peças em cerâmica integram a mostra. Ao todo são 14 obras que compõem a mostra. Sendo assim, a exposição Transmudar pode ser visitada, de segunda a sexta, das 13h às 19h. E por fim, a entrada é gratuita.