Apae de Balneário Camboriú lança 2º edição do livro Histórias Especiais

Compartilhe

Obra reúne crônicas e ilustrações produzidas por alunos artistas da instituição após participação em oficinas preparatórias e incentivo à criação artística

Depois de seis meses de trabalho, com oficinas de criação literária, artes visuais, conversas e aperfeiçoamento do trabalho criativo, a APAE de Balneário Camboriú lançou nesta segunda-feira (07), a segunda edição do livro Histórias Especiais. A obra é composta por seis histórias e suas respectivas ilustrações, criadas por alunos artistas da entidade, e está disponível em E-Book, com versões em audiolivro e em vídeo com tradução em Libras. O lançamento ocorreu em evento realizado na sede da entidade e o material pode ser conferido em www.casulo21.com/historiasespeciais/ e nos canais da APAE de Balneário Camboriú no YouTube e Soundcloud.

Foto – Mariana Castro

De acordo com o produtor e multiartista Luciano Candemil, coordenador e diretor artístico do projeto, a realização da sua segunda edição do livro proporcionou um avanço na qualidade do material e maior engajamento da comunidade escolar nas atividades propostas. “Nesta segunda edição, a gente vê que ficou mais fácil desenvolver o trabalho e percebe que teve uma maior participação dos alunos, que já sabem no que o projeto vai resultar. Quanto ao resultado, tivemos um salto qualitativo bem grande. Saíram histórias incríveis e ilustrações fantásticas, muito em virtude das oficinas de artes visuais que realizamos este ano. Tanto que teremos três ou quatro ilustradores para cada história, quando estava prevista apenas um desenho para cada”, conforme comenta.

Objetivo

O projeto que resulta no livro Histórias Especiais busca escapar do estereótipo de outras ações voltadas à socialização comumente desenvolvidas com pessoas com deficiência. É claro que a iniciativa vislumbra a promoção da inclusão dessas pessoas, mas vai além disso ao colocá-las em papel de protagonismo no âmbito da produção cultural, como seres criativos e capazes de transmitir suas impressões do mundo a partir de suas vivências e perspectivas individuais. Nas histórias que integram o livro, os alunos apresentam relatos sobre seus sentimentos, preocupações, prazeres, amizades, amores e até política.

Foto – Mariana Castro

Candemil enfatiza o valor deste tipo de abordagem para dirimir o que classifica como uma dívida histórica da sociedade com as pessoas com deficiência. “Assim como acontece com o racismo, o preconceito em relação às pessoas com deficiência é estrutural na nossa sociedade e faz com que tenhamos uma dívida histórica com essas pessoas. Por isso, acredito que projetos como esse dão uma contribuição muito grande para preencher essa lacuna. Então vale ressaltar a importância de editais como esse da Fundação Cultural que favorecem que pessoas com deficiência sejam também artistas, pessoas que propõem arte e não só receptores de produtos culturais”, salienta.

Por fim, o projeto Livro Digital e Audiolivro: Histórias Especiais – Volume II é viabilizado por meio da Lei de Incentivo à Cultura, edital 007/2021, da Fundação Cultural de Balneário Camboriú.

Sandro Abecassis

Publicitário, radialista, pós graduado em educação inclusiva e gestão executiva de projetos.

WhatsApp chat