A origem de “Chop Suey” do System Of A Down.

Compartilhe

No dia 04 de setembro de 2001, portanto há apenas 7 dias do 11 de setembro, o System Of A Down lançava seu 2º álbum, Toxicity, um sucesso absoluto do metal impulsionando a carreira da banda.

Curiosamente, no dia do atentado terrorista contra as Torres Gêmeas em Nova Iorque e o Pentágono, “Toxicity” alcançou o primeiro lugar, tanto nas paradas americanas quanto no Reino Unido. O álbum conta com faixas como, a que dá nome ao disco, “Forest”, “Psycho”, “X”, “Jet Pilot”, e aquela que levaria o System Of A Down” a ganhar um Grammy em 2002, “Chop Suey”. 

Segundo o vocalista, Serj Tankian, “Chop Suey” aborda alguns temas relevantes, como por exemplo, o vício em drogas, mas sem um lado sombrio. Ao mesmo tempo, a letra traz a interpretação da sociedade com relação à morte. Serj explicou ao Songfacts:  

“A música é sobre como quando as pessoas morrem, elas serão vistas de forma diferente dependendo da forma como passam. Tipo, se eu morresse de overdose de drogas, todos diria que mereci porque abusei de drogas, daí a frase ‘Os anjos merecem morrer’.”

A escolha do título.

A origem de "Chop Suey" do System Of A Down.
System Of A Down. Getty Image.

Uma curiosidade interessante é que o título de “Chop Suey” – conhecida como uma comida chinesa com carne, peixe e legumes – era para se chamar “Suicide”. No entanto, a gravadora não aceitou para que pudesse tocar no rádio. Logo no início da música, Serj canta, “estamos fazendo suicídio”, contudo a banda escolheu Chop Suey por ter uma pronúncia parecida com “suicide”, lembrando o nome original da canção. No entanto ela não faz alusão ao suicídio.

Além do mais, a letra traz também referências a trechos bíblicos, a exemplo da frase, “Pai, em Tuas mãos eu entrego o meu espírito”, tirado do evangelho de Lucas. Do mesmo modo, “Pai, por que me abandonaste?”, que saiu do livro de Mateus. 

A introdução da música é um cânone, que é quando as vozes imitam a primeira voz, entrando uma após a outra. 

O videoclipe

O premiado videoclipe de Chop Suey, dirigido por Marcos Siega, teve suas filmagens feitas na área de estacionamento de um hotel barato em Los Angeles, próximo onde a banda cresceu. Antes da sequência de filmagens eles publicaram um anúncio convocando fãs para participarem. Contudo, o grupo pensou que viriam poucas pessoas. Mas, cerca de 1.500 fãs apareceram, e acabaram compondo a imagem de palco lotado que aparece na produção. 

Quando ocorreram os atendados de 11 de setembro as rádios tiraram do ar “Chop Suey”, apesar de não ter nenhuma referência com os atos, a justificativa era que a canção era muito agressiva. 

“Chop Suey” estava subindo nas paradas quando foi silenciado pelos acontecimentos de 11 de setembro de 2001. Quase todas as estações de rádio tiraram-no de suas playlists em um esforço para serem o mais sensíveis possível após a tragédia. Embora a música não tivesse nada a ver com terrorismo, consideraram agressiva demais. A frase “Eu choro quando os anjos merecem morrer” era um pouco pesada para a maioria dos diretores de programa e ouvintes naquele momento. Quando as coisas se acalmaram, a música voltou ao ar praticamente de onde parou, já que não houve muitas músicas lançadas nas semanas após o 11 de setembro”. Disse Serj.