Whitesnake: há 40 anos a banda lançava o album, “Slide It In”.

Compartilhe

“Slide It In”, se tornou um dos principais álbuns do Whitesnake na década de 80

Há 40 anos, em 30 de janeiro de 1984, o Whitesnake lançava o álbum considerado como a solidificação da carreira da banda, “Slide It in”. 

A Produção ficou por conta de Martin Birch, o mesmo do Iron Maiden e que já havia trabalhado com o Deep Purple.

O curioso é que duas versões do álbum acabaram sendo gravadas, uma para o mercado europeu e outra para o norte-americano.  

Os integrantes naquele período que gravaram a versão europeia foram, Mel Galley (guitarra), Colin Hodgkinson, (baixo), Cozy Powell (batería), Jon Lord (teclados) e John Sykes (guitarra), entrando no lugar de Mick Moody, depois que ele se desentendeu com o vocalista e dono da banda, David Coverdale. Mick e o baixista Neil Murray gravaram a versão para os Estados Unidos. 

Whitesnake: há 40 anos a banda lançava o album, "Slide It In".
Whitesnake em 1984.

Nos EUA o Whitesnake havia assinado com a Geffen Records. Sendo assim, a gravadora exigiu uma nova remasterização do álbum. Tanto é, que Mick adicionou camadas dos solos, e fez arranjos diferenciados para a versão americana. Ouvindo as duas versões é possível notar a diferença em faixas como, “Gambler” e “Slow An ́ Easy”, perceptível nos teclados, baixo e trazendo mais eco na voz de Coverdale. 

Em relação ao posicionamento no mercado, a versão europeia ficou em nono lugar no Reino Unido enquanto nos Estados Unidos, “Slide It In”, alcançou somente a 40ª posição. 

Curiosidades

As faixas “Slide It In”, “Guilty Of Love” e “Love Ain’t No Stranger”, se tornaram as mais tocadas do álbum, principalmente no Brasil. O Whitesnake desembarcou no país em janeiro de 1985, para a primeira edição do Rock In Rio, substituindo o Def Leppard, que cancelaram todos seus eventos por conta do acidente com o baterista Rick Allen, que acabou com o braço amputado. 

A faixa “Love Ain´t No Stranger”, virou trilha sonora dos cigarros Hollywood na TV. 

A modelo da capa do álbum se chamava, Julie Clarke, David Coverdale lembrou o fato no site da Metro: “Na verdade haviam duas garotas. A primeira tinha 17 anos e ela desmaiou. Nós tivemos que arranjar outra modelo pra fazer a capa de trás do álbum”. Conforme contou.

Por fim, no perfil oficial do Whitesnake no Instagram, a banda fez uma homenagem ao álbum neste dia 30 de janeiro: