data-full-width-responsive="true"

Municípios da Grande Florianópolis unificam decretos de restrições.

Compartilhe

Os prefeitos de Florianópolis, São José, Palhoça e Biguaçu, e o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, reuniram-se na última sexta-feira, 10, para discutir e estabelecer as novas medidas de restrição válidas para os quatro municípios da Grande Florianópolis, a fim de diminuir o contágio pela Covid-19 na região.

Nas novas regras, cursos livres e esportes coletivos estarão proibidos, além de proibição no acesso de espaços públicos aos finais de semana e shoppings aos domingos. Portanto, novos horários e exigências também foram definidos para outras áreas.

O objetivo é evitar ao máximo que as pessoas saiam de casa, principalmente nos finais de semana, quando há maior chance de aglomerações e contágio. Um decreto único será publicado pelas prefeituras e as regras passam a valer a partir de sábado.

Clique para ter acesso ao DECRETO UNIFICADO e às NOVAS MEDIDAS.

Ampliação da capacidade hospitalar

Mesmo com o aumento de mais de 50% dos leitos de UTI, os governos buscam ampliar ainda mais o número de leitos nas próximas semanas. Na visão do secretário estadual de Saúde, André Mota, é necessário priorizar o esforço na ampliação das atuais estruturas. Outras opções, como o Hospital da Base Aérea, foram descartadas pelo Estado neste momento em função da precariedade do ambiente, que impossibilita a instalação.

Os órgãos trabalham em duas frentes: ativar 27 leitos indisponíveis por algum problema, seja de falta de equipamento, pessoal, ou em higienização; e abrir novos leitos nos hospitais públicos e privados para atender a população.

Uma reunião entre Governo do Estado, Prefeitura de Florianópolis e Hospital de Caridade vai buscar ampliar a oferta de novos leitos para atendimento via SUS. Outra opção que tem se mostrado viável é a abertura de novos leitos de UTI no hospital de Biguaçu. As prefeituras vão se mobilizar para apoiar com recursos.

Novos leitos

O Governo do Estado planeja abrir de 25 a 30 novos leitos de UTI nos hospitais públicos da região, mais 10 a 15 no Hospital de Biguaçu, mais 10 no Caridade, além de um credenciamento que fará em conjunto com as Prefeituras da região para abrir novos leitos em hospitais particulares e oferecer via SUS.

No entanto, a informação correta do percentual de ocupação e número de internados em hospitais públicos de cada município, deve ser precisa.

As quatro cidades acreditam, pelos dados de suas vigilâncias em saúde, que a internação de seus moradores em UTI representa menos de 50% do total de internados na região.

Por fim, na terça-feira, 14, os prefeitos se reunirão novamente para conversar sobre os leitos e as novas medidas restritivas.

data-full-width-responsive="true"
WhatsApp chat