“Farol das Orcas”: filme inspirador sobre autismo e conexão com a natureza

Menino autista encontra força e conexão com orcas na Patagônia em história real emocionante.

Para quem gosta de um drama recheado de esperança, o filme “Farol das Orcas” disponível na Netflix é uma boa pedida para estes tempos, onde ainda existe preconceito contra pessoas, e principalmente crianças com espectro autista. 

A trama deixa claro que autismo não é doença, mas sim uma característica neurológica de uma pessoa. Contudo, o pai de Tristão (Joaquin Rapallini) não pensa assim, e abandona o filho com a mãe. 

Sozinha, Lola (Maribel Verdú) e seu filho vão até a Patagônia, lá encontram Roberto Bubas (Joaquim Furriel), um homem especialista na comunicação com as Orcas, estudando o comportamento social dos animais.

Roberto com Tristão. Divulgação

Ao observar o trabalho de Roberto, a mãe de Tristan vai solicitar que ele tente aplicar um processo semelhante ao que ele realiza com as Orcas em seu filho, com o objetivo principal de promover a comunicação, a integração social e o desenvolvimento das habilidades cognitivas do garoto.

"Farol das Orcas": filme inspirador sobre autismo e conexão com a natureza
O Farol das Orcas. Divulgação.

Lola e Roberto começam a ter um relacionamento, e o estudo começa a dar resultados na vida de Tristan. 

“Cem Anos De Solidão”, ganha primeiro trailer de divulgação.

O filme, “O Farol da Orcas” é uma produção argentina e se baseia em uma história real que está no livro do verdadeiro, Roberto Bubas. Ele vivenciou a experiência com um menino autista na vida real e se inspirou para escrever, “Agustin Coração Aberto”. 

Por fim, o filme é dirigido por Gerardo Olivares. Portanto confira o trailer.