Beiramar Shopping e Rede IVG arrecadam notebooks para alunos da periferia.

Compartilhe

O Beiramar Shopping em parceria com o IVG, lança uma campanha para arrecadar notebook, ou desktops para alunos da Rede IVG que não possuem equipamentos para acompanhar as aulas online.

Ao todo, são 131 jovens atendidos, sendo 78 no pré-vestibular e 53 no programa de bolsas. Dessa forma, 38% estão impossibilitados de continuar seus estudos pela falta de equipamentos, por exemplo.

“Não podemos permitir o aumento desenfreado da exclusão educacional pela falta de equipamentos. Finalizamos o primeiro semestre com muita dificuldade e agora, frente a incerteza do retorno às aulas presenciais, não podemos ficar inertes. Procuramos, mais uma vez, o grande parceiro Beiramar Shopping, que mais uma vez nos abriu portas e rapidamente engajou toda sua equipe para não deixarmos ninguém para trás”, explica o presidente do IVG, Padre Vilson Groh.

Os equipamentos podem ser entregues na administração do shopping, no piso L2, no Beiramar Shopping. Mas, caso a pessoa não possa levar, o shopping implantou inclusive um sistema de coleta, mediante agendamento pelo 3212-4675 ou 48 99133-5314. 

O empresário Waltinho Koerich destaca que a ação está em total sintonia com o projeto Conexões Sociais do Beiramar Shopping, que tem como objetivo criar conexões entre as comunidades, lojistas e sociedade. “Tivemos de ir até a raiz do problema para possibilitar que estes jovens não entrem para estatísticas de evasão educacional”, pontua o empresário Waltinho Koerich.

Conexão com os estudantes

O Instituto Vilson Groh realizou um levantamento com todos os alunos atendidos para tabular as necessidades e dificuldades enfrentadas. A tecnologia é o grande entrave. A campanha de doação junto ao Beiramar Shopping e agora o IVG procura também parceiros para resolver a falta de conexão com a internet.

No entanto, o problema de falta de acesso a recursos, no entanto não é apenas uma particularidade da região. Segundo o TIC Domicílios de 2019, 41% dos domicílios contatados citaram a falta de computador como principal motivo para não ter acesso à internet.

“Com uma ação de união e de solidariedade em um período que enfrentamos um inimigo invisível e comum, temos como nosso primeiro objetivo, alcançar 25 unidades, mas o desafio e o desejo maior, é chegarmos nos 50 computadores, facilitando o acesso à educação para estes estudantes, entendemos que, ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades”, finaliza Waltinho Koerich.

Sandro Abecassis

Publicitário, radialista, pós graduado em educação inclusiva e gestão executiva de projetos.

WhatsApp chat