“A Space In Time” do Ten Years After, uma obra-prima do rock nos anos 70.

“A Space In Time” do Ten Years After, um álbum que abre uma década de retomada do rock and roll.

Por Sandro Abecassis

Já queria escrever sobre o disco, A Space In Time, da banda Ten Years After há algum tempo. Não só pela importância – muitas vezes ignorada pelos grandes veículos e mídias especializadas – mas também pelo divisor de águas que representou para a própria banda.

O disco foi lançado em agosto de 1971. Neste sexto álbum, a banda traz uma pegada mais voltada para o blues, folk e rock and roll. Com vocais intensos, deixando de lado a psicodelia riponga de discos anteriores.

A faixa que abre o disco, “One Of These Days”, demonstra o peso da banda com uma blueseira potente, principalmente nos vocais de Alvin Lee.

Os Britânicos do Ten Years After.

No entanto, o disco continua no embalo de um folk solitário e acústico, como por exemplo em “Here They Come”. A letra deixa um mistério, afinal, Alvin canta para que os pecadores tenham cuidado, “porque eles chegando”. Sobrou um pouco da psicodelia. 

Pink Floyd: a história da banda escrita por Nick Mason.

Ao chegar na terceira faixa, não dá mais para “sair” do disco. A clássica “I’d Love to Change the World” é aquele tipo de canção que faz você colocar no modo repeat.

A canção é bem significativa porque em um tempo em que todos estavam muito engajados pela paz, meio ambiente e questões sociais, a banda é bem sincera, ao dizer que gostaria de mudar o mundo, mas não sabe como fazer.

Contudo, o que o Ten Years After soube fazer bem nesta canção, está nos solos e viradas de bateria, dando uma assinatura tanto para a banda, quanto para a década de 70.

A produção

A produção do álbum é de Del Newman, produtor que trabalhou com músicos como Elton John, Cat Stevens, Wings e Rod Stewart. A adição de um quarteto de cordas de Newman na faixa “Over the Hill” teve um resultado de sincronia perfeita, trazendo para a canção uma intensidade, lembrando até os Beatles.

Ten years after. Getty Images

Então, receba essa chamada e atenda o telefone como na abertura do rock and roll, “Baby Won’t You Let Me Rock n’ Roll”, e sob os riffs de “Let the Sky Fall”.

Vale destacar a abertura da música “Once There Was a Time”, cuja introdução tem influência de “Raunchy” do músico Eddie Clayton.

1971, foi um ano fabuloso para o rock em lançamentos de discos, talvez um dos maiores anos para o gênero.

Confira alguns álbuns lançados: Led Zepellin (IV), Black Sabbath (Master of reality), The Rolling Stones (Stick Fingers), Paul McCartney (Ram), John Lennon (Imagine), Jethro Tull (Aqualung), Janis Joplin (Pearl, lançado postumamente) e The Doors (L.A Woman, lançado 2 meses antes da morte de Jim Morrison). 

Por fim, A Space In Time é um disco essencial para qualquer fã de rock.

Sendo assim, ouça abaixo o álbum na íntegra: