SESC prepara para dezembro a reabertura do Museu de Florianópolis.

Compartilhe

O Sesc Santa Catarina prepara para dezembro a abertura do Museu de Florianópolis, localizado no prédio histórico que sediou a antiga Casa de Câmara e Cadeia, na Praça XV de Novembro, 214 – Centro.

Assim que a avaliação do Risco Potencial para Covid-19 na região da Grande Florianópolis e Decretos e Portarias Municipais permitirem  com todos os protocolos sanitários e de segurança, o público poderá conhecer o espaço gratuitamente com agendamento prévio. 

Através de uma parceria entre Sesc e a Prefeitura Municipal, o Museu de Florianópolis foi idealizado para o visitante conhecer a cidade de forma interativa, além de compreender seu momento atual. Portanto, tem como prioridade o interesse público e ações de fácil acesso sobre a própria cidade, a história de seus povos e as diferentes expressões culturais. 

CONCEITO INOVADOR

O Museu de Florianópolis traz características dos museus históricos, preservando a memória da Capital catarinense, ao mesmo tempo que olha para o tempo presente e abre um diálogo para o futuro. Utilizando diferentes tecnologias e expondo acervos importantes, o espaço traz diferentes vozes da população, pensar a história e discutir o amanhã.  

A abertura do Museu de Florianópolis oportuniza a reaproximação da população do prédio histórico construído entre 1771 e 1780. Motivado pela questão “Quantas cidades cabem dentro de uma mesma cidade?”, se projeta como espaço que busca auxiliar o visitante no processo tanto de entendimento quanto de transformação de sua própria realidade.  

“É um museu sobre e para a cidade. Onde o município, seus povos e culturas, serão apresentados de inúmeras maneiras: por uma perspectiva histórica, refletindo seu passado, por seu presente e pelas possíveis prospecções de futuros para Florianópolis”, declara o Presidente do Sistema Fecomércio/SC e do Conselho Regional do Sesc, Bruno Breithaupt.

GESTÃO DO SESC-SC

O Sesc Santa Catarina fará a gestão do bem público por 20 anos, conforme contrato de licitação firmado com a Prefeitura Municipal. O processo de instalação do museu iniciou no ano passado, após a entrega do restauro da obra e da documentação legal do imóvel. 

Entretanto para a implantação, foi formada uma Comissão Consultiva composta pela equipe do Sesc e por órgãos do município. 

Com investimento de R$ 3.011.949,37, a Instituição adquiriu os equipamentos e desenvolveu o projeto museológico e museográfico, realizado pela Expomus, empresa responsável pelo Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo, Museu de Arte Sacra de Paraty e Museu da Imigração do Estado de São Paulo. O Sesc também construiu um espaço anexo para um Café e contratou as equipes de trabalho.  

Atualmente o Sesc faz a gestão do Centro Cultural Vidal Ramos Sesc, em Lages, prédio histórico importante para a história de seu povo, das cidades e regiões. Além de desenvolver programações artísticas e culturais em todas as regiões do Estado. 

“Em parceria com o setor público, mantemos espaços históricos ativos, com programação variada, atuando diretamente na preservação do Patrimônio Histórico e Cultural no Estado, na difusão do conhecimento e preservação de memória. Nosso trabalho é realizado a partir do diálogo e protagonismo das comunidades envolvidas, garantindo ao público a prática dos direitos culturais”, salienta Bruno Breithaupt.

ESPAÇOS E EXPOSIÇÕES 

O Museu de Florianópolis tem exposições de longa duração, em seis módulos além de uma exposição temporária.

No andar térreo do sobrado histórico de 865m² há três salas expositivas: “Um edifício, muitas memórias”, com as histórias do prédio, sua trajetória de uso e processo de restauração; “Vozes da cidade”, com depoimentos que buscam refletir as múltiplas vozes que compõem a cidade; e a sala para a exposição temporária, que abre com uma mostra interativa sobre o Boi de Mamão.

Contudo, existe ainda uma sala para as ações educativas, oficinas e palestras, e um ambiente voltado para reserva técnica.  

O piso superior é dedicado à exposição de longa duração. Na sala “Ventos e Marés: de Meiembipe a Florianópolis” há uma projeção que sobre a relação de Florianópolis com o seu território. Além disso, a sala “Fluxos e Atravessamentos” apresenta dados ao processo de ocupação da Ilha inclusive quanto a diversidade.

“Florianópolis, Presente e Futuro” trata questões contemporâneas através de sete temas como empoderamento feminino, direito à cidade, plano diretor, preservação do ambiente, especulação mobiliária, mobilidade urbana e economia criativa. No corredor, o módulo “Panorama” mostra Florianópolis em suas variadas dimensões.

Todos os espaços foram aproveitados para reverenciar a cidade. Na entrada, é possível obter informações sobre pontos turísticos e culturais da cidade, através de recursos multimídia. Na escada, expressões ilhéus como: “Arrombassi”, “Dazumbanho”, “Istepô”, “Moquirido”, “Tax tolo?”, entre outros marcam a visita. 

SERVIÇO MUSEU DE FLORIANÓPOLIS 

O horário de atendimento do Museu: 

– De dezembro a fevereiro: segunda a sexta-feira, das 10h às 20h e nos finais de semana e feriado, das 10h às 16h.  

– De março a novembro: segunda a sexta-feira, das 9h às 19h e nos finais de semana e feriado, das 10h às 16h.
 

– Os ingressos podem ser adquiridos ao valor de R$ 10,00 (inteira) R$ 5,00 (meia), online no site do Sesc, ou diretamente no local. Confira política de ingressos e gratuidades.  

Sempre no último domingo do mês, a visitação é gratuita para todos os públicos. Enquanto permanecer a Pandemia do Coronavírus, mesmo nos dias de gratuidade, porém é necessário agendamento prévio.  

Sendo assim, consulte no site do Sesc o protocolo adotado no Museu para prevenção ao Coronavírus. 

Por fim, neste período de Pandemia o número de visitantes será limitado conforme decreto do governo vigente e mapa de risco. Portanto, para saber mais acesse o site do Museu de Florianópolis.

WhatsApp chat