Paul McCartney revela por que passou a fazer shows longos.

Paul McCartney revelou o motivo dos seus shows passarem de duas horas, e quem o influenciou na decisão

Por Sandro Abecassis

Paul McCartney, completou 81 anos no último dia 18 de junho, e para quem cantava a aposentadoria aos 64 em “When I´m Sixty-four”, ele está bem ativo. No entanto, o eterno Beatle já dá sinais que a próxima turnê possa ser a sua despedida dos palcos, mas não das produções e novas canções.

Recentemente em entrevista a Conan O’Brien Needs a Friend, ele revelou quem foi o “culpado” por influencia-lo a fazer shows longos de quase 3 horas. Diferente do tempo em que tocava com os Beatles, onde as apresentações duravam 30 minutos. 

“Hoje em dia, praticamente há uma atração principal e pode haver uma atração de abertura. Naquela época [década de 1960], tinha muita gente no cartaz porque ninguém tocava muito tempo; agora as pessoas vão tocar três ou quatro horas.” Declarou.

E em com bom humor, revelou o “culpado” da mudança,. “Eu culpo Bruce Springsteen – eu disse isso a ele. Eu disse: ‘A culpa é sua, cara’. 

E completou: “Ele arruinou. Agora não dá para fazer uma hora, a gente fazia meia hora. Isso era coisa dos Beatles: meia hora e éramos pagos por isso. Eu tentei descobrir por que era tão curto. Bem, porque havia muitas pessoas no projeto, e acho que quando você ia a algo, se fosse um comediante, o promotor dizia: ‘Quanto tempo você consegue fazer? Quatro minutos?’ O cara dizia que sim, então ele faria quatro. E então pensamos: ‘Bem, meia hora, isso é épico!’. Não parecia estranho”. 

Novas produções

Super produtivo, Paul McCartney lançou recentemente o livro – 1964: Eyes Of  the Storm – um book com fotografias feitas por ele mesmo no período do auge da beatlemania. A produção tem fotos inéditas com textos explicativos de contexto daquela época.

Além do mais, o baixista revelou a produção de uma nova faixa dos Beatles através de Inteligência Artificial até o final do ano. Possivelmente a canção seja, “Now and Then”, que John Lennon gravou em uma fita e ficou de fora do Anthology em 1995. 

Por fim, Paul esteve em Glastonburry acompanhando as apresentações de Elton John, Guns N´Roses e Foo Fighters. Quanto a nova turnê, surgem boatos de shows no Brasil, é aguardar.