“Californication”: o significado por trás do hit do Red Hot Chili Peppers.

Em 1999, o Red Hot Chili Peppers lançou “Californication”, Além do sucesso, o RHCP trouxe temas cotidianos às letras, elevando seu impacto.

Por Sandro Abecassis

Em 1999 o Red Hot Chili Peppers lançou o disco “Californication”, a produção ficou por conta de Jack Rubin, e o álbum marcou a volta de John Frusciante ao grupo. 

Muitos fãs do RHCP torceram o nariz para este álbum pelo fato de ser comercial demais. O fato que a maioria ainda não tinha se desvinculado do excelente álbum Blood Sugar Sex Magik de 1991. No entanto, o “One Hot Minute”, lançado em 1995, já demonstrava qual caminho a banda seguiria.

Contudo, “Californication”, alcançou um dos seus objetivos vender muitos álbuns e fazer com o Red Hot Chilli Peppers tivesse vários hits tocando nas rádios. Como por exemplo, “Scar Tissue”, “Californication”, “Other Side”, e “Easily”. 

A intenção do RHCP em popularizar o som também tinha um outro objetivo não tão intencional, que era levar para as letras assuntos cotidianos importante

“Californication” não é exaltação a Califórnia. 

A canção não exaltava a Califórnia, muito pelo contrário, demonstrava a massificação do “American Way Of Life”. Principalmente no poder que Hollywood exercia no imaginário

“Little girls from Sweden, dream of silver screen quotations. And if you want these kind of dreams It’s Californication” (Garotinhas da Suécia sonham com trechos da tela prateada, e se você quer esses tipos de sonhos, É a Californicação)

Nesta parte, a letra mostra a busca de atrizes em conseguir um espaço no disputado espaço do cinema americano. E Antony Kiedis continua quando diz que o sol nasce no leste e se põe no Oeste, dizendo ironicamente que tudo acontece é levado para lá. 

Algumas teorias da conspiração já imaginaram a música como se fosse uma previsão do que se vive hoje. No entanto, este estilo de vida da Califórnia é desenhado desde os anos 50. 

A letra divaga sobre o poder do dinheiro, como ao fato de que se pode pagar um bom cirurgião para retardar o envelhecimento. A indústria pornográfica também é citada na frases, “Primeiro unicórnio nascido, suave pornô explícito” em referência a Dorothy Stratten, de 20 anos, modelo canadense uma das primeiras Playmates, assassinada pelo marido Paul Snider

Além do mais a música faz uma critica dos casamentos arranjados por conta de notoriedade e uma estrela na calçada da fama. 

Em outra estrofe Kiedis cita, Kurt Cobain, Stars Wars e David Bowie. 

“Space may be the final frontier

But it’s made in a Hollywood basement

And, Cobain, can you hear the spheres

Singin’ songs of station to station

And Alderaan’s not far away

It’s Californication”

“O espaço pode ser a fronteira final

Mas é feito num porão de Hollywood

Cobain, você pode ouvir as esferas

Cantando músicas de estação em estação

E Alderaan não está tão longe

É a Californicação”

Este é trecho mais profundo, pois cita Kurt Cobain – vocalista do Nirvana que se matou em 1994 – o músico criticava justamente o modelo midiático americano de poder, ambição e ganância, onde tudo é plástico feito em um porão de Hollywood. 

Na sequência Antony cita o Foo Fighters (que eram os nomes das esferas vistas por aviões), dizendo que o Cobain ouve a banda de Dave Grohl cantando “Station To Staion”, álbum de David Bowie que Kurt gostava.

Fechando a estrofe, Antony Kiedis cita o planeta Alderaan de Star Wars, brincando que não está tão longe, está ali em Hollywood. 

 

Então, para finalizar a estrofe: 

“Destruction leads to a very rough road

But it also breeds creation

And earthquakes are to a girl’s guitar

They’re just another good vibration

And tidal waves couldn’t save the world

From Californication”

“Destruição leva a uma estrada muito violenta

Mas também concebe criação

E terremotos são para guitarra de uma garota

Eles são apenas mais uma boa vibração

E maremotos não poderiam salvar o mundo

Da Californicação”

Kiedis não está vangloriando a destruição, mas quis dizer que um fato ruim poder dar origem a algo melhor. 

Videoclipe

O videoclipe de “Californication”, mostra a banda como personagens de um videogame vivendo aventuras, se esquivando dos perigos, esquiando na neve e na Golden Gate, surfando em cima de tubarões, enfrentando ursos da floresta, percorrendo os estúdio de Hollywood, além de desafios surrealistas. E por fim, a banda volta a realidade vencendo uma cidade que sucumbe.

O Red Hot Chili Peppers desembarca no Brasil para cinco shows: 04 de novembro – Rio de Janeiro – Estádio Engenhão Nilton Santos. 07 de novembro – Brasília – Arena BRB Mané Garrincha. 10 de novembro – São Paulo – Estádio do Morumbi. 13 de novembro – Curitiba – Estádio Couto Pereira e 16 de novembro – Porto Alegre – Arena do Grêmio