Discos e bandas de rock

Black Sabbath: “Paranoid”, um clássico não planejado.

Mesmo se tornando um clássico do Black Sabbath, a ideia era usar “Paranoid” apenas para preencher o segundo disco da banda.

Em 1970 o Black Sabbath lançava seu segundo álbum, Paranoid, que também dá título a segunda canção do álbum, que ainda contava com “War Pigs”, “Iron Man”, “Planet Caravan” e “Eletric Funeral” como destaque. 

A música, apesar de ser uma das mais conhecidas do grande público, principalmente para os jovens que aprendem os primeiros riffs de guitarra, não representava uma preferência dos próprios integrantes do Black Sabbath. O baixista Geezer Butler, até relativizou a importância de Paranoid em uma declaração à revista Guitar World. 

“Muito do álbum Paranoid foi escrito na época do nosso primeiro álbum, Black Sabbath . Gravamos tudo em cerca de dois ou três dias, ao vivo no estúdio. A música ‘ Paranoid’ se tornou uma reflexão tardia. Basicamente precisávamos de um preenchimento de 3 minutos para o álbum, e Tony veio com o riff. Eu rapidamente fiz as letras, e Ozzy as lia enquanto cantava.”. Conforme contou em 2004.

E Tony Iommi ainda completou: 

“A música foi escrita como um preenchimento para o álbum – nunca foi planejada para ser outra coisa. Mas se tornou um single porque era uma música curta e porque se tornou o que fez, a maioria das pessoas sabia nós por causa do ‘paranóico’ daquela época.”

Aliás, o tema de “Paranoid” é justamente sobre o aspecto de saúde mental, depressão e principalmente, o envolvimento com drogas, que maximiza o efeito de ambas as situações, de acordo com Butler:

“Basicamente, é apenas sobre depressão, porque eu realmente não sabia a diferença entre depressão e paranóia. É uma coisa de drogas; quando você fuma um baseado, fica totalmente paranóico com as pessoas, não consegue se relacionar. Há aquele cruzamento entre a paranóia que você sente quando fuma maconha e a depressão depois”.

O álbum era para se chamar War Pigs, no entanto, a gravadora optou por “Paranoid” porque era menos ofensivo. Um fato curioso é que na letra não existe a palavra Paranoid, apenas situações cotidianas que deixam alguém paranóico, como fato de ser tarde demais para aproveitar a vida, ou uma mulher que não consegue entender os problemas mentais do marido. Além da busca por buscar algo para acalmar a mente.

Fugindo dos singles.

“Paranoid”, ficou em 4º lugar no Reino Unido, mas o Black Sabbath demorou dois anos para lançar um novo single.

O receio era ser rotulado como uma banda exclusivamente voltada para lançar sucessos. Ozzy revela que sua intenção não era que o público comparecesse aos shows apenas em busca dos hits, mas sim para apreciar todas as músicas relacionadas aos álbuns.

Um fato curioso, é que Tony Iommi gravou “Paranoid” com o olho roxo, após uma briga. O fato é mencionado na autobiografia do guitarrista: Iron Man: Minha jornada pelo céu e pelo inferno com o Black Sabbath

Por fim, o Megadeth fez um dos covers mais famosos de “Paranoid”, presente no tributo, “Nativity In Black”, lançado em 1994.

 

Sandro Abecassis

Publicitário, radialista, músico e apaixonado por rock, literatura e histórias curiosas.