Obra de Richard Wright, ‘The Great Gig In The Sky’, se transformará em nova arte através de ondas cerebrais

The Great Gig In The Sky’, composição de Richard Wright no Pink Floyd, vai fazer parte de experimento com ondas cerebrais.

Por Sandro Abecassis

Richard Wright, morreu em 15 de setembro de 2008, aos 65 anos, vítima de câncer. O tecladista do Pink Floyd só esteve ausente da banda, em um curto período da década de 80. 

O músico contribuiu com a construção da sonoridade do Pink Floyd, nas várias fases, do flerte com o psicodelismo, a fase progressiva dos anos 70, as experiências e influências dos anos 80. 

O medo da morte fez Richard Wright compor, “The Great Gig In The Sky”, algo como em português, “O Grande Show No Céu”. A canção fecha o lado B do cultuado, “The Dark Side Of The Moon”, de 1973, e contou com a participação da cantora, Clare Torry.

Richard comentou sobre este medo da morte na revista Mojo, em 1998. “Para mim, uma das maiores pressões de estar na banda era justamente esse medo constante de morrer por causa de todas as viagens que fazíamos em aviões e nas autoestradas na América e na Europa.”

Sobre “The Great Gig In The Sky”, Wright disse em 2003: 

“Quando compus, eu não pensei que era apenas sobre a morte. Fosse assim, não acho que teria escrito aquela estrutura de acordes. Fico tão animado quando ouço Clare cantando. Para mim, não é necessariamente a morte. Eu ouço terror, medo e muita emoção, especialmente na parte intermediária, a forma como a voz se mistura com a banda. A maneira como o material foi mixado ajuda.” Conforme contou.

 “The Great Gig In The Sky” nasceu para ser uma espécie de êxtase religioso sobre a morte. A banda queria um vocal feminino para a música, e na época, o engenheiro de som Alan Parsons sugeriu Clare Torry. 

Clare improvisou vocalizações longas e notas altas, como se fosse um instrumento musical e ao mesmo tempo um pranto. Ela gravou em dois takes tudo e ganhou cerca de 30 libras, só soube que havia dado certo quando viu o disco nas lojas com os créditos para sua voz.

Em 1990 Clare cantou com o Pink Floyd no show em Knebworth, durante o lançamento durante a promoção de “Delicate Sound Of Thunder”. Anos mais tarde, em 2004, Clare processou o Pink Floyd por direitos autorais, mas chegaram a um acordo.

“The Great Gig In The Sky” e as ondas cerebrais

“The Great Gig In The Sky”, passa recentemente por experimento criado pela Fundação Richard Wright Music and Dolby Laboratories. A experiência vai escolher entre os dias 2 e 6 de outubro, através deste LINK, cem fãs da banda como “convidados” para o projeto “Brainstorm: The Great Gig In The Sky”, que consiste em ouvir através de um aparelho a canção do Pink Floyd, e ainda ter suas ondas cerebrais mapeadas por um aparelho semelhante a um eletroencefalograma. Sendo assim, o resultado vai gerar uma obra de arte de acordo como o cérebro reagiu a canção. 

As obras de arte surgidas a partir de, “The Great Gig In The Sky”, serão divulgadas publicamente com autorização dos participantes. 

Por fim, Richard Wright continua vivo, deixando um legado muito mais significativo do que ele mesmo imaginava.