Morre Gal Costa, ícone da música popular brasileira.

Morre uma Doce Bárbara. 

Uma das maiores vozes da música popular brasileira, Gal Costa, de 77 anos, morreu na manhã desta quarta-feira, 9. A cantora estava se recuperando de uma cirurgia pela retirada de um nódulo nasal direito, e já havia cancelado alguns compromissos, como a apresentação no festival Primavera Sound.

A assessoria de imprensa da artista ainda não informou as causas. Nas redes sociais algumas celebridades já postaram homenagens a Gal Costa.

Carreira

Os novos passos dos Doces Bárbaros, a banda formada por Caetano, Gil,  Betânia e Gal | Eu & | Valor Econômico
Doces bárbaros

Gal Costa nasceu na Bahia, em 1945, começou a se interessar pela música quando trabalhava em uma loja discos, onde aproveitava para ouvir, João Gilberto. No começo dos anos 60 foi apresentada a Caetano Veloso, e a partir daí a parceria nunca acabou. Fez parte do grupo Doces Bárbaros, composto por Maria Bethânia e Gilberto Gil. A cantora participou também do movimento Tropicalista nos anos 60, e na década seguinte, interpretou canções de Dorival Caymmi, Milton Nascimento, Bebeto e Chico Buarque, inclusive servindo de tema para várias novelas da Rede Globo. 

Gal Costa, começava seus show em tom agudo, falando, “Meu nome é Gal, e em muitos deles subia ao palco com os seios amostra, gerando ao mesmo tempo pra época, polêmica e também admiração da plateia. Este fato se tornaria como a sua voz, uma marca registrada da cantora sobre o empoderamento e acima de tudo, o poder feminino.

Por fim, a cantora também se tornou uma ativistas contra a ditadura militar no Brasil.

Relembre, “Divino e maravilhoso”.