“Setembro Amarelo” é a campanha que marca o mês dedicado à prevenção ao suicídio

Compartilhe

Iniciativa visa à conscientização da população sobre esse grave problema e formas de evitá-lo

O suicídio é uma triste realidade que atinge o mundo todo e gera grandes prejuízos à sociedade. De acordo com o último levantamento divulgado pelo DataSUS, nos últimos 20 anos os suicídios subiram de 7 mil para 14 mil. O número é maior do que mortes por acidentes de moto no mesmo período, sendo que são mais de um caso por hora, sem contar os que não foram notificados.

Daí a importância de iniciativas como o Setembro Amarelo, mês dedicado à prevenção do suicídio. Conforme explica a psicóloga Ana Paula Lima, que integra a rede de Credenciados do Plano CELOS, trata-se de uma campanha, que teve início no Brasil em 2015, e que visa conscientizar as pessoas sobre o suicídio, bem como evitar o seu acontecimento.

Para ajudar é preciso ficar atento a quem está ao seu redor e a alguns indícios de sofrimento. Como, por exemplo, um amigo em uma situação de vulnerabilidade, tristeza profunda ou falta de vontade de fazer as suas atividades. Ou ainda no caso de paciente com histórico de depressão grave”, destaca a especialista.

Ela lembra que a psicoterapia é um dos melhores caminhos, pois quanto mais você se conhece, mais fácil será saber lidar com as suas emoções. E para quem não tem com quem conversar, Ana indica o Centro de Valorização da Vida (CVV), atendimento via ligação telefônica, pelo número 188.

Como ajudar uma pessoa sob risco de suicídio?

Além das dicas já apresentadas pela psicóloga, é importante não tratar as lamentações da pessoa como “drama” ou “exageros”. O contato inicial é muito importante, mas deve ser feito de forma adequada. Entre as principais ações podemos destacar:

• Falar de forma carinhosa e sem julgamentos, ouvir com atenção e se mostrar interessado com a conversa,
• Falar sobre o assunto, sem medos e tabus;
• Ter empatia, paciência e demonstrar preocupação, cuidado e afeto;
• Conversar com amigos e familiares da pessoa e se manter ao lado dela para ajuda e apoio;
• Procurar entender os sentimentos da pessoa sem diminuir a importância deles;
• Não esperar a pessoa dizer que quer se matar para buscar ajuda. É preciso estar atento aos sinais de alerta e levar a situação a sério;
• Ir atrás das unidades e profissionais da saúde.

O mês de setembro ainda é lembrado pela cor verde, dedicado às campanhas de: inclusão das pessoas com deficiência, a importância sobre a doação de órgãos e prevenção ao câncer de intestino. Ao longo de todo o ano diferentes campanhas são realizadas no País utilizando cores para trazer mais visibilidade e conscientização a diversas questões relacionadas à saúde.

WhatsApp chat