Polícia civil liberta criança sequestrada e prende criminosos em flagrante.

Compartilhe

Ação aconteceu nesta madrugada.

Na madrugada deste domingo, a Polícia civil de Santa Catarina junto com a polícia militar do estado, conseguiram encontrar e libertar a criança Fabíola, de 04 anos, que foi sequestrada na última sexta-feira, (18).

Durante coletiva de imprensa na manhã deste domingo, com a participação do Presidente do Colegiado e  Delegado Geral Paulo Koerich, foi enfatizada a prisão do casal envolvido, que por informações preliminares vieram do Rio grande do sul, mas que já moram em Santa Catarina.

Participaram da ação e da coletiva, A Polícia Civil do estado, Polícia Militar e Instituto Geral de Perícias (IGP), que atuaram integrados no caso. Estiveram presentes pela PM o coronel Áureo Cardoso, comandante da 11a RPM, e pelo IGP o diretor de Identificação, Fernando Souza, além do Delegado João Fleury.

Acima de tudo, os órgãos de segurança agradeceram as denuncias que fizeram chegar ao cativeiro da criança no norte da ilha de Florianópolis, ao mesmo criticaram o recebimento de diversos trotes e informações falsas.

Na residência, foi identificado o veículo utilizado, foi então que os policiais entraram libertando a criança, e prendendo os criminosos. A princípio eles negaram o crime e disseram que estavam cuidando da criança, tanto que os policiais disseram que a mulher não soltava a menina, agindo com resistência. Foi então que através da força policial conseguiram liberta-la.

No cativeiro havia bonecas pintadas com maquiagem de coringa em meio a fezes, roupas de crianças, além de uma bagunça generalizada.

Antes da data do sequestro, esse casal teria se aproximado da residência da vitima. Mas a polícia civil ainda não pode afirmar se havia alguma relação com a família.

“O Objetivo principal era trazer a criança ilesa de volta para família, nos sentimos emocionados e revigorados”. Afirmou a Delegada Geral Eliane Chaves.

Segundo as informações ainda não foi apurado qual o motivo do sequestro, apenas que o crime configura cárcere privado. A polícia civil tem dez dias para concluir o inquérito.

Cuidados.

Sobre os cuidados das famílias para com seus filhos a Delegada Eliane Chaves ressaltou. “Um recado que é muito importante e já vem sendo mencionado pela polícia civil, é não expor seus filhos nas redes sociais. Pode ser a origem de todos os problemas semelhantes a este”. Afirmou.

Sandro Abecassis

Publicitário, radialista, pós graduado em educação inclusiva e gestão executiva de projetos.

WhatsApp chat