Pesquisa aponta Santa Catarina como destino turístico seguro.

Compartilhe

Um estudo realizado pela Santur levantou dados e informações sobre o comportamento dos turistas no contexto da pandemia de Covid-19.

A Pesquisa de Intenções de Viagens, apontou Santa Catarina como destino seguro, reforçou a tendência do turismo regional e a necessidade de cuidados contra a Covid-19.

As informações obtidas também permitiram traçar um perfil desse turista. Os dados mostram turistas de 30 a 39 anos, prefere viajar de carro, para deslocamentos de até 300km junto com a família.

Utiliza buscadores online e redes sociais no planejamento, tem especial interesse em sol e praia e preferência por hotéis ou pousadas para 2 a 3 dias de permanência. Apesar de ver Santa Catarina como um destino seguro, na preparação da viagem leva em consideração ameaças como o risco de contaminação pela Covid-19 e a possibilidade de adiamentos em decorrência da pandemia.

O presidente da Santur, Leandro “Mané” Ferrari, avalia que os resultados da pesquisa vêm ao encontro do trabalho que vem sendo realizado desde o início da pandemia, como melhorias de infraestrutura turística e elaboração de protocolos sanitários para proporcionar um turismo seguro a visitantes, trabalhadores e empreendedores do setor.

“Mais que isso, confirma que estamos no caminho certo ao apostar mais fichas no turismo interno, revalorizando atrativos catarinenses e incentivando que nascidos ou residentes no estado conheçam mais de Santa Catarina. Ainda, demonstra que a Santur tem empreendido de forma assertiva no desenvolvimento de outros projetos, entre eles o de roteirização para valorização de atrativos e produtos em todas as regiões turísticas do estado”, enfatiza Ferrari.

Coleta de dados.

A coleta de dados, entre os dias 24 de agosto e 7 de setembro, envolveu 1.460 pessoas de 20 estados e o Distrito Federal, além de nove países.

Do total de respondentes, 95% são brasileiros, sendo que 78% residem em Santa Catarina. A participação de outros estados foi de 17%, principalmente Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo. Outros 5% dos pesquisados são estrangeiros, majoritariamente da América do Sul, com destaque para argentinos, uruguaios e peruanos.

“Essas informações demonstram a potencialidade do turismo interno e de abrangência regional para o público catarinense, assim como para visitantes de estados e países vizinhos”, avalia a coordenadora da pesquisa Luana Emmendoerfer, diretora de Estudos e Inovação da Santur.

Luana acrescenta que os resultados obtidos foram estruturados entre os que têm Santa Catarina como opção de viagem; os que pretendem visitar outros destinos (estado ou país); e aqueles que no momento não têm intenção de viajar. Para cada um desses panoramas foram apresentados dados complementares sobre o perfil dos respondentes, possibilitando uma leitura mais abrangente.

Deslocamento, duração e frequência

Das pessoas que participaram da pesquisa, 60% optaram por não viajar durante a pandemia, até o momento. Ainda assim, uma parcela de 29% revelou ter realizado viagens nos últimos meses, com destaque para os destinos das regiões turísticas Serra Catarinense (21%), Grande Florianópolis (18%) e Costa Verde & Mar (17%).

Viagens e pandemia

A pesquisa também buscou conhecer a percepção de segurança sanitária dos turistas em relação a Santa Catarina. O resultado aponta uma leitura positiva para o setor. Entre uma escala de 0 a 5, onde 5 corresponde a totalmente seguro, as notas mais citadas foram 4 (29%), 3 (28%) e 5 (23%).

Entre os que avaliaram como seguro, 41% pretendem viajar ainda neste ano de 2020, 18% no final do ano e 14% apenas quando tiver a vacina contra a Covid-19.

O grau de segurança sanitária do estado também mostra que 48,6% dos entrevistados não mudariam a escolha do destino em Santa Catarina mesmo apesar pandemia.

Entre aqueles que avaliaram bem a segurança sanitária no estado, a estrutura turística é o principal fator levado para definir uma viagem por Santa Catarina. Dessa forma, este item foi escolhido por 31% dos entrevistados.

Planejando a viagem

Os buscadores on-line e as redes sociais são as ferramentas mais utilizadas pelos viajantes para planejar uma viagem. Quase 60% do total de participantes da pesquisa revelaram que recorrem a esses canais antes da tomada de decisão.

Dessa forma reforça que a disponibilidade de informações e a divulgação de produtos e serviços nesses meios podem ser decisivos na escolha do destino.

Entretanto, a recomendação de amigos ou familiares também tem peso relevante na opinião de 19% dos entrevistados. Sendo assim, indica que uma boa experiência de viagem pode refletir positivamente em negócios futuros.

Destinos mais procurados e hospedagem

Para 83% dos participantes da pesquisa o motivo da viagem foi lazer/turismo. Dentre os interesses em atividades como natureza, ecoturismo e turismo de aventura (42,5%) e sol e praia (41%). No entanto, outros segmentos foram citados em menor escala, como turismo rural (8,2%), cultural (4,2%) e de entretenimento/festas (4,1%).

Por fim, quanto aos meios de hospedagem, hotéis e pousadas foram indicados como principal opção para 59% do público pesquisado. Contudo, com 13% para casa de parentes e amigos e imóvel alugado via plataforma Airbnb, 11%.

Acesse aqui a pesquisa completa.

Sandro Abecassis

Publicitário, radialista, pós graduado em educação inclusiva e gestão executiva de projetos.

WhatsApp chat