Morador da Lagoa e sua cachorra são abrigados em hotel.

Compartilhe

Felipe precisou de abrigo após alagamento na Lagoa. 

Felipe Oliveira de 29 anos é morador da Lagoa da Conceição e precisou de abrigo da Prefeitura de Florianópolis na tarde de segunda-feira, 25. Entretanto, hoje, o gaúcho que mora há dois anos na cidade passou por um grande susto por conta dos alagamentos na região.

Conforme Felipe conta sua cachorra, Gaia, mostrou um comportamento diferente na madrugada, e ele, ao levantar viu que o muro do seu vizinho caiu atingindo seu carro, que deu perda total.

O administrador de banco de dados é um dos acolhidos no hotel oferecido pelo munícipio e conta sua experiência nessa segunda-feira:

“Quando eu vi meu carro boiando, um carro sem seguro e tudo que eu conquistei me senti muito preocupado. Com a chegada de ajuda da Prefeitura e dos Bombeiros eu me senti abraçado, senti que não estava mais sozinho e tinha alguém ali para me ajudar”, comenta.

Felipe morava em um prédio que ficou muito alagado. Seus vizinhos, também afetados pela enchente, tiveram que ir para casa de parentes ou ser acolhidos pela Prefeitura.

Família pet

Felipe e sua cachorrinha Gaia formam uma família faz 8 meses, quando ele ganhou a filhote de pitbull de uma amiga. Felipe levou sua cachorra para o hotel e fala sobre o fato de não deixar animais para trás em meio à enchentes.

“É muito cruel pensar que tem pessoas que deixam os animais para trás em uma situação como essa, eles sofrem tanto quanto nós” comenta enquanto faz carinho em sua animal de estimação.

Sendo assim, quem estiver em qualquer situação de risco e precisar de ajuda da administração municipal pode entrar em contato com a Defesa Civil pelo número 199, que faz os encaminhamentos para os abrigos municipais.

Até o momento, a Prefeitura contabiliza 16 pessoas desabrigadas que estão acolhidas no Hotel pago pela administração municipal. Entre eles, 5 famílias em um total de 12 pessoas que são da Lagoa da Conceição. Há também pessoas acolhidas do Campeche e Trindade.

Por fim o número total de desalojados está sendo levantado. Contudo, caso esteja em uma situação de risco, acione a Defesa Civil através do 199, assim como o corpo de bombeiros no 193.

WhatsApp chat