IMA aponta 45,9% de pontos impróprios para banho em Santa Catarina.

Compartilhe

O Instituto do Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina (IMA) divulgou na última semana de dezembro, quarta-feira, 28, o sexto relatório de balneabilidade da temporada 2022-2023, antecipando as informações para o fim de ano.

De acordo com as análises, 109 dos 237 locais avaliados do litoral catarinense estão próprios para o banho, o que representa 45,99%. Em Florianópolis, 34 dos 87 pontos onde há coleta estão em condições de receber os banhistas, o que representa 39,08%.

“O fator chuvas torrenciais, que foge ao controle humano, continua impactando nos resultados de balneabilidade de muitas praias catarinenses. Sendo impossível controlar ou conter as precipitações, seus danos, prejuízos, orientamos que seja evitado o banho por no mínimo 24/48 horas após as chuvas, em especial em locais próximos ao deságue de tubulações, valas, riachos ou rios, bem como, em locais com águas estagnadas”, reforça o gerente de Laboratório e Medições Ambientais, Marlon Daniel da Silva. 

Norte da ilha em Florianópolis apresenta maiores pontos impróprios.
Norte da ilha em Florianópolis apresenta maiores pontos impróprios.

Importante informar ainda que a responsabilidade quanto ao saneamento, seja através de coleta e tratamento dos efluentes domésticos, é de responsabilidade municipal. Portanto, reclamações quanto a chegada de materiais contaminados com odores característicos ao mar, devem ser imediatamente denunciados à Vigilância Sanitária do município pertinente.

Perfil no Instagram transforma histórias reais em tirinhas.

O monitoramento é feito em 27 municípios litorâneos e mais de 100 praias e balneários do Sul ao Norte, compondo as cidades de: Araranguá, Balneário Arroio do Silva, Balneário Gaivota, Balneário Camboriú, Balneário Barra do Sul, Balneário Rincão, Barra Velha, Biguaçu, Bombinhas, Florianópolis, Garopaba, Governador Celso Ramos, Imbituba, Itajaí, Itapema, Itapoá, Jaguaruna, Joinville, Laguna, Navegantes, Palhoça, Passo de Torres, Penha, Balneário Piçarras, Porto Belo, São Francisco do Sul e São José.

Região de Bombinhas, Porto Belo e Itapema estão todos impróprios para banho

As análises realizadas pelo IMA são baseadas na Resolução Conama 274/2000 e tem como parâmetro a Escherichia coli, que é uma bactéria encontrada no sistema digestivo dos animais de sangue quente.

O local é considerado Próprio para banho quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras obtidas em cada uma das cinco semanas anteriores, colhidas no mesmo local, houver, no máximo 800 Escherichia coli por 100 mililitros.

Impróprio, quando no trecho avaliado for verificada uma das seguintes ocorrências: 

  • não atendimento aos critérios estabelecidos para as águas próprias; 
  • quando o valor obtido na última amostragem for superior a 2000 Escherichia coli por 100 mililitros.

Surto de diarreia

Neste começo do ano, a Secretaria de saúde do estado de Santa Catarina tem registrado um significativo aumento dos casos de diarreia, principalmente no norte da ilha, (jurerê, ingleses, canasvieiras). Os sintomas incluem também dores abdominais e vômitos. A confirmação ocorreu na noite de sexta-feira (6).

Ao todo, 587 casos da doença foram identificados. A maioria deles, 487, foram confirmados na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte, localizada no Norte da Ilha de Santa Catarina.

A epidemia atinge moradores e turistas. Nesta semana, a Vigilância Epidemiológica já havia alertado sobre o aumento do número de casos e disse que o fenômeno é comum nas estações de calor, com crescimento da população na Capital.

 As causas da epidemia são investigadas. Uma das hipóteses em apuração é se o caso está relacionado aos locais impróprios para banho em algumas praias, especialmente no Norte da Ilha.

O relatório do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) apontou que praias famosas como Jurerê, Canasvieiras e Ingleses estão com a maioria dos pontos impróprios para banho. A atualização é de segunda (2).

A Vigilância Epidemiológica de Florianópolis divulgou orientações para prevenção à diarreia. Confira abaixo:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão ou solução antisséptica;
  • Beber água tratada e de fonte segura;
  • Avaliar se os alimentos foram bem preparados;
  • Evitar o consumo de alimentos de vendedores ambulantes não credenciados e frutas/verduras com as cascas danificadas;
  • Conferir se os alimentos estão bem embalados e com as informações de produção e data de validade;
  • Evitar o consumo de preparações culinárias com ovo cru;
  • Não se banhar em praias consideradas impróprias para banho e locais perto de saídas de rios e córregos;
  • Não consumir água do mar;
  • Evitar levar animais à praia.

Relatórios semanais

De novembro a março, na alta temporada, os resultados das análises feitas pelo IMA são divulgados todas as semanas, sempre às sextas-feiras no período vespertino. Mas em decorrência do fim de ano, o sexto relatório foi antecipado. Já na baixa temporada, de abril a outubro, a pesquisa é feita mensalmente. 

A coleta é realizada pelo Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, que mantém uma parceria com o IMA desde 2019, sempre de segunda a quarta-feira. Os resultados e históricos das coletas podem ser acessados na íntegra pelo site: balneabilidade.ima.sc.gov.br e pelo aplicativo Praia Segura.

Santa Catarina tem o segundo maior monitoramento de balneabilidade do Brasil tendo como base uma metodologia de trabalho segura realizada há mais de 40 anos.

WhatsApp chat