data-full-width-responsive="true"

Fora da creche, professora da rede municipal da capital ginga na capoeira

Compartilhe

Karime Danielle, conhecida como Minnie, fundou uma escola com o marido para a prática que mistura esporte, luta e dança

Karime Danielle Silva atua no Núcleo de Educação Infantil Municipal de Florianópolis Luiz Paulo da Silva, no Santinho. É professora regente de um grupo de crianças de 5 e 6 anos de idade. Fora do Neim é monitora na Escola de Capoeira Maré Brasil, fundada em 2008 por ela e o marido, Anderson, o contramestre Rato. Minnie é o nome dela de batismo nessa representação cultural que mistura, esporte, luta, dança, música e brincadeira. É responsável por ministrar aulas teóricas e práticas.

Minnie diz que a escola foi Idealizada com o objetivo de oferecer aos praticantes o desenvolvimento da cidadania e a preservação da saúde promovendo qualidade de vida.

Os três filhos do casal, Kauan, 9 anos, Byanka, 8 anos, e Kaue, 3 anos, participam das atividades no espaço da família e acompanham os pais nas vivências de rodas de capoeira e apresentações em ambientes públicos, como praças e praias.

A arte caracteriza-se por movimentos ágeis com utilização dos pés, as mãos e de elementos ginástico-acrobáticos.

Praticante há 16 anos, para Minnie, a capoeira “ nutre o meu corpo, a alma e o coração, enriquece meu ser. Sinto-me mais confiante, fortalecida e disposta a desenvolver o melhor em mim e enfrentar os desafios cotidianos gingando com leveza e mandinga”.

Aos 38 anos, a paulista de Carapicuíba, enfatiza que a capoeira lhe proporciona subsídios para atuar como professora no núcleo de educação infantil na formação humanizada, integral e cidadã das crianças.
“De maneira brincante, foco em valorizar a cultura da infância e as individualidades dos integrantes de cada grupo em que atuo, situando-os como seres portadores de direitos, promovendo um movimento de ensino-aprendizagem significativo”.

data-full-width-responsive="true"
WhatsApp chat