Empresa catarinense aposta em usina solar para produzir energia limpa e mais barata

Compartilhe

Dezoito unidades do Grupo Geração vão se beneficiar do projeto

A grave crise hídrica enfrentada pelo Brasil, e o consequente aumento nas contas de energia elétrica tem preocupado os consumidores e impulsionado, ainda mais, o crescimento do setor de energia solar fotovoltaica. Em Santa Catarina, impulsionado pelo desejo de produzir energia limpa e mais barata, o grupo de concessionárias de veículos Geração, um dos maiores do Estado, investiu na construção de uma usina solar.

“A escassez de recursos hídricos cada vez mais latente, e o alto custo da energia elétrica, nos incentivaram a procurar por alternativas de energia limpa e renovável, contribuindo para o meio ambiente e para o bolso”, segundo afirma o diretor do Grupo Geração, Evandro Elias de Carvalho.

Ganho ambiental

Com projeto desenvolvido pela Quantum Engenharia, a usina em Biguaçu, na Grande Florianópolis, já começou a operar e irá suprir 70% da necessidade de energia das unidades de venda da empresa, em oito cidades. São 1.260 módulos fotovoltaicos-395 Wp, com potência de 497,70 KWp, o que deverá representar uma economia anual de cerca de R$ 300 mil reais. O ganho ambiental em um ano equivale a quase 9 mil unidades de árvores plantadas, além de deixar emitir mais de 344 toneladas de CO² na natureza e quase 2 milhões de km de poluentes produzidos por automóveis.

“Os sistemas de energia fotovoltaica proporcionam redução de até 95% na conta de energia elétrica, além de não ser poluente”, de acordo explica Thiago Müller Martins, gerente da área de energia solar da Quantum Engenharia. Com 30 anos no mercado, o grupo Quantum é referência em desenvolvimento e gestão de iluminação pública, sistema solar fotovoltaico, subestações e redes de distribuição de energia elétrica, estando presente com projetos em Santa Catarina e em mais nove estados brasileiros.

“O retorno financeiro do investimento foi um critério profundamente analisado, e à época da decisão já demonstrou ser favorável, claramente acima de 8 anos sentiremos no bolso a melhora, e atualmente com os aumentos constantes de custos da energia elétrica certamente este retorno foi reduzido”, conforme conta Evandro.

Dados do setor.

A energia fotovoltaica cresce exponencialmente no Brasil. Em junho, o País ultrapassou a marca de 16 gigawatts (GW) de potência operacional da fonte solar fotovoltaica, de acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Após a geração centralizada, segmento de usinas de grande porte, alcançar 5 GW, a geração distribuída (GD), composta por sistemas de médio e pequeno portes instalados em telhados, fachadas e terrenos, se aproximou dos 11 GW, devendo superar o número nos próximos dias. Dessa forma, a fonte solar se aproxima da biomassa, que ocupa a quarta posição na matriz elétrica brasileira

WhatsApp chat