Bairro Educador monta peça de teatro com a garotada

Compartilhe

Programa da Prefeitura de Florianópolis, na sede do Mocotó, aborda o mundo do circo

Thiego Bittencourt Costa tem 6 anos de idade e mora com os avós e uma tia no Morro do Mocotó, em Florianópolis. Todas as terças e quintas-feiras, pela manhã, ele participa da oficina de teatro do Programa Bairro Educador, uma realização da Prefeitura de Florianópolis por intermédio da Secretaria de Educação e Instituto Escola de Esporte Cidadã, que ocorre na sede da associação dos moradores.

Ao chegar recebe orientações do professor Edson Alexandre Rossa, de 47 anos, que o ajudam a compor seus personagens – Lutador e Pipeiro – na peça que o grupo está montando. Além de aprender as técnicas de interpretação, o teatro oferecido pelo programa tem mudado a vida do menino.

“Antes de entrar na oficina eu ficava em casa no período da manhã sem fazer nada. Às vezes assistindo a televisão, brincando com joguinhos ou ficando na rua mesmo. Depois que conheci o teatro comecei a me sentir melhor porque estou aprendendo coisas bem legais”, conta Thiego.

CRIANDO SEUS PRÓPRIOS PERSONAGENS

Brenda Vitória, Helena Vitória, Prof. Edson Rossa, Thiego Costa e Derick Rezuto (Fotos: Antonio Prado)

O professor Edson elogia a participação do garoto na oficina. “Ele tem muita criatividade, é um contador de histórias muito engraçado e tem um tempo de comédia muito bom”, diz o professor, que tem no currículo quase 30 anos de carreira no teatro como ator, diretor e escritor.

A peça que está sendo montada é baseada no mundo do circo e deve ficar pronta no início do segundo semestre. Além de Thiego, o grupo é formado por 30 alunos entre 6 e 14 anos divididos em duas turmas.

Para compor o espetáculo o educador ensinou sobre tema e deixou em aberto para que as crianças criassem seus personagens. Foi aí que Thiego teve a ideia de criar o Lutador e o Pipeiro. “Na peça eu começo lutando, depois entro como pipeiro na história”, comemora o ator principiante.

“Essa liberdade é muito importante para estimular a criatividade das crianças”, segundo relata Edson.

O professor ainda destaca que isso que essas crianças estão aprendendo será um divisor de águas na vida delas, pois nem todos serão atores mas essa melhoria na comunicação será importante nos trabalhos escolares, nas entrevistas de emprego, em se expressar em público. “Sem dúvida eles sairão na frente dos demais e isso é muito importante em uma sociedade em que a timidez se tornou um problema”.

A BONECA EMÍLIA

Fotos: Antonio Prado

Helena Vitória Lopes, de 8 anos, vem se destacando na oficina e aproveita a oportunidade para realizar um sonho: interpretar a boneca Emília, de Monteiro Lobato. “Lá em casa a minha mãe e minha tia gostam muito da boneca. Cresci vendo ela nos desenhos. Quando o professor deixou a gente escolher o personagem, fui logo dizendo que queria ser ela. Vou homenagear toda minha família”, revela.

“Aqui na oficina no Morro do Mocotó a gente aprende muito e isso é ótimo para mim, pois no futuro quero ser atriz”, fala Helena, ao lado da sua irmã Brenda Vitória, de 7 anos, que também frequenta as aulas de teatro. Ela será malabarista na peça.

“LOGO ESTAREI CRAQUE”

Derick Rezuto, 7 anos, será o Palhaço Toddynho. Ele escolheu esse personagem porque gosta de tomar achocolato e adora a figura do palhaço. “Na peça uni as duas coisas”, conta o garoto que agradece ao Bairro Educador pela oportunidade de aprender a interpretar. “Meu personagem faz malabarismo com três bolas pequenas e meu desafio está sendo aprender isso. Mas o professor está me ensinando e logo estarei craque”, conforme diz.

Por fim, entre os temas abordados na oficina estão: teatro de boneco (animação), contação de histórias, interpretação, posicionamento de palco.

Além disso, o Programa Bairro Educador oferece no Morro do Mocotó as oficinas de Apoio Pedagógico, Defesa Pessoal, Futebol 7, Surf, Música (violão e percursão), Grafite, Dança Jazz, Taekwondo, Karatê e Dança Zumba.

WhatsApp chat